sexta-feira, 29 de junho de 2012

Dreams - Part. 84

Postado por @slaysdrauhl às 20:36
Reações: 
22 comentários
Minha raiva já havia passado, eu não esqueceria o que aconteceu, mas não poderia brigar com ele por uma besteria nossa. Senti meus olhos pesando, até que não pude mais contê-los... Adormeci.

(JustinON)
            Quando vi ela entrando no McDonald’s junto com o Chris fiquei meio chateado, mas se quer consegui tirar meus olhos dela e suas provocações literalmente acabavam comigo – o coração partido que ela desenho foi a gota d’água para fazer eu me sentir um nada. Não pudia ficar e vê-la ignorando minha presença então apenas fui embora, fiquei trancado em casa a tarde toda e a noite resolvi sair para dar uma volta. Eu estava com meu ipod ouvindo música quando vi um telefone publico e uma ideia maluca surgiu em minha mente, liguei para casa da (SeuNome) e cantei Payphone pra ela. No começo fiquei pensando se cantava ou não, mas quando me dei conta que não teria outra chance comecei e eu apenas a ouvia respirar e sorrir baixinho. Eu disse que sentia a falta dela e depois fiquei esperando sua resposta, mas a droga da ligação caiu, tentei ligar novamente mais estava dando ocupado ou então o telefone publico desligava sozinho – um completo azar.
            Decidi ir para casa e assim que cheguei lá ouvi o telefone tocar e corri para atender – talvez fosse ela.

(LigaçãoON)
Eu: Alô – falei sorrindo.
XX: Justin, a Jazzy está doente e está querendo ver você – murmurou meu pai e eu respirei fundo.
Eu: Doente? O que ela têm? – perguntei preocupado.
Pai: Infecção Pulmonar, mas não é nada muito grave – disse ele e eu apenas fechei meus olhos e respirei fundo novamente.
Eu: Vou estar aí amanhã de manhã, eu prometo – murmurei e ouvi-o respirar fundo.
Pai: Tudo bem, obrigado filho.
Eu: Minha irmã está doente e precisa de mim, não precisa agradecer por isso – falei e ele sorriu.
Falamos sobre mais algumas coisas, depois nos despedimos e ele desligou.
(LigaçãoOFF)

            Eu estava disposto a falar com a (SeuNome) amanhã na escola e resolver tudo isso, mas não daria já que eu teria que ir ver a Jazzy, ela estava precisando de mim – não podia negar isso à ela. Liguei para o aeroporto e comprei minha passagem, embarcaria amanhã bem cedo e avisaria ao Adam para ele avisar a (SeuNome). Arrumei minhas malas, eu ficaria lá apenas durante três dias, era o máximo de tempo que eu poderia ficar por conta da escola. Depois de arrumar tudo me preparei para dormir já que no dia seguinte acordaria bem cedo – rezei pela Jazzy antes – não demorou e eu acabei adormecendo.

(...)

Acordei com meu despertador tocando e sem demora me levantei e fui para o banheiro tomar banho. Me arrumei, peguei minhas coisas e depois chamei um taxi para me levar até o aeroporto. O embarque não demorou muito e como não estava com muitas coisas o check-in foi bem rápido, dormi a viagem inteira e quando acordei já estavamos aterrizando. Desci e passei pelo check-out e fui para a área de desembarque, vi meu pai me esperando.
Eu: Oi pai – falei quando cheguei perto dele e ele me abraçou, depois bagunçou meu cabelo como sempre – A Jazzy está em um hospital?
Pai: Estava, mas eles disseram que ela já podia voltar para casa – explicou ele pegando minha mala e pondo no carro – Mas sempre que ela tem febre fica chamando por você, talvez se ela te ver melhore ou algo assim – concluiu ele e eu sorri do comentário, sempre mimei minha irmãzinha.
            Fomos até a casa do meu pai e a Erin estava lá, comprimentei-a e ela me fez algumas perguntas sobre como estava minha vida, respondi-as e depois subi direto para o quarto da Jazzy – ela estava dormindo. Fui andando devagar e me sentei ao lado dela depositando um beijo em sua bochecha.
Jazzy: Justin – murmurou ela sonolenta e logo em seguida levantou me abrançando, sorri.
Eu: Oi minha princesinha – sussurrei depositando um beijo nos cabelos dela.
Jazzy: Senti sua falta – disse ela e eu sorri, ela se afastou e eu olhei-a.
Eu: Também senti sua falta – sussurrei e ela sorri, sentia falta do sorriso dela.
            Fiquei com ela durante um tempo e depois que ela dormiu novamente fui para o quarto onde eu ia ficar arrumar as coisas e tomar banho, ficaria esperando meu pai me chamar para almoçar e pra passar o tempo fiquei um pouco no twitter, mas a (SeuNome) não estava online. Assim que eu voltasse pra Los Angeles eu iria falar, não podia mais perder tempo.
(JustinOFF)

Três dias depois...

        As coisas ainda estavam na mesma, o Justin ainda estava no Canadá cuidando da irmãzinha dele e eu permanecia aqui sentindo falta dele, eu estava tão determinada a falar com ele, mas foi ótimo ele ter ido ver a Jazzy. Adam disse que ela estava doente e querendo muito ver ele e ele não podia negar isso ela, eu também nem aprovaria se ele fizesse isso.
            Estava ali perdida naquele almoço, minha mãe me balançando o tempo todo para que eu cumprimentasse as pessoas que vinham falar conosco. Era um almoço comemorativo de algum negocio do trabalho da dela que eu não faço ideia do que seria – ela me disse durante a estrada, mas eu não prestei atenção em nada – eu apenas estava vivendo por obrigação.
Mãe: (SeuNome) será que dá pra sorri mais!? – sussurrou ela sem perder a pose, sorri daquilo.
Eu: Desculpa, estava pensando... – ia explicar, mas ela me interrompeu.
Mãe: Pensando no Justin, isso não é novidade nos últimos dias – murmurou ela e eu apenas respirei fundo – Quer dizer... Nas últimas semanas.
Eu: Mãe... – murmurei e ela me interrompeu novamente.
Mãe: Eu perguntei se você estava bem para vir e você disse que estava – disse ela me olhando e eu apenas fiquei fitando seus olhos – Prometeu que iria se comportar educamente, então apenas se comporte.
Eu: Me desculpe – sussurrei e ela não disse mais nada.
            Toda vez que chegava uma pessoa para falar com ela eu forçava um sorriso e fingia estar feliz – aquilo só acabava comigo – eu havia prometido pra ela que não estragaria o momento dela, cumpriria com a minha promessa.
            Quando enfim acabou agradeci a Deus, minha mãe iria para Nova York e voltaria apenas no dia seguinte de manhã, ia resolver assuntos da empresa. Levei-a até o aeroporto e voltei de táxi depois dela embarcar – estava tarde. Entrei em casa e deixei a porta aberta, a Jullie iria dormir em casa comigo, não estava em condições de ficar sozinha e além do mais precisava de alguém para conversar. Desci para comer alguma coisa sem se quer tirar o vestido que usei na festa, fiquei descalça andando de um lado para o outro, tentando controlar meus pensamentos. Porque o Justin tinha que estar em 99,9% das coisas que eu pensava!? Tudo era sobre ele, ao redor dele.
Droga.
            Subi e fiquei esperando a Jullie no quarto, estava assistindo tv até que senti vontade de ver algumas fotos do Justin, fui até meu guarda-roupas e peguei as fotos que estavam lá. Fiquei olhando-as e após um tempo ouvi alguém abrir a porta do quarto, provavelmente a Jullie.
Eu: Ju... – falei me virando e logo senti meu corpo simplesmente paralizar, o que ele estava fazendo ali!?
            Ficamos nos encarando durante um tempo e meu coração batia tão forte e tão rapido que podia senti-lo em minha mente.
Eu: Ta fazendo o que aqui? – perguntei com esforço e ele não respondeu, apenas veio em minha direção e selou seus lábios aos meus.
            Reagi em minha mente, mas meu corpo simplesmente cedeu à ele. Sua língua áspera passando ao redor dos meus lábios pedindo passagem e seus lábios precionando-se com urgência aos meus – sentia meu corpo inteiro arrepiar - ele me tinha por tão pouco. As fotos que estavam em minhas mãos caíram sobre o chão e automaticamente meus braços cercaram o pescoço dele dando mais intensidade ao beijo. Puxei-o pra mais perto e sua mão desceu pela minhas costas me causando arrepios até parar em minha cintura. Nos beijamos durante um longo tempo e ele foi subindo sua mão até o zíper do meu vestido e foi abaixando-o aos poucos, se quer pensei em hesitar. Fomos dando pequenos passos para perto da cama e ele se quer encerrou o beijo, em alguns momentos eu encontrava espaço para respirar, mas em outros a falta de ar me tomava por completo – eu sinceramente não acreditava que ele estava ali.
            Após abrir o zíper por completo meu vestido caiu e eu tive uma certa dificuldade para tirar meus pés de dentro sem encerrar o beijo, consegui após um tempo e o Justin nos guiou mais um pouco até a cama. Encerramos o beijo para tirar a camisa dele e ele me olhou e sorriu, apenas sorri também e assim que terminei de tirar a camisa dele, seus lábios veio de encontro aos meus novamente. Fomos com calma, medindo cada toque e cada atitude até que estavamos apenas de roupas intimas. Ele sentou na cama e me puxou para o seu colo fazendo-me envonvolver minhas pernas em sua cintura e depois voltou a me beijar, um beijo bem mais ousado que o anterior. Sua língua ávida explorava cada parte da  minha boca me causando fortes arrepios quando se chocava com a minha seguida de um chupada viciante.
            Suas mãos desceram pra minhas cochas com desejo, eu gemi sobre seus lábios e cravei minhas unhas em sua nuca e ele gemeu entre o beijo apertando minhas cochas com mais firmeza. Suas mãos voltaram pra minha cintura e puxou meu corpo para mais perto do dele, pude sentir seu membro rígido de uma forma gritante dentro de sua box roxa – senti minha intimida pulsar e minhas bochechas logo coraram. Ele foi descendo os beijos e eu ergui minha cabeça fitando o teto enquanto mordia meus lábios e senti-o depositar leves beijos em meu pescoço seguidos de algumas mordiscadas – ele estava me enlouquecendo. Fechei meus olhos e a cada toque meu coração batia mais forte, era estranho o modo como eu me sentia, não sabia explicar as sensações que ele me causava. Ele era tão perfeito, seu toque era tão viciante e maravilhosamente encantador que eu se quer podia descrever o que sentia quando ele me tocava – era algo mágico. Quando acordei dos meus devaneios eu estava deitada e ele estava beijando meus lábios suavemente enquanto seu corpo quente permanecia sobre o meu - era como se ele estivesse em chamas - após um tempo ele foi descendo e fazendo uma trilha de beijo por entre meus seios, até chegar em minha barriga e passou sua língua ao redor do meu umbigo - gemi. Ele tirou minha calcinha sem muita pressa e logo em seguida subiu fazendo a mesma trilha de beijos, mordiscou meu queixo e depois abocanhou minha boca num beijo avassalador.
Justin: Eu te amo – sussurrou ele em meu ouvido e depois deu uma leve mordida no lóbulo da minha orelha, meu gemido passou por entre meus dentes e ele sorriu pelo nariz.
            Inverti a posição e selei nossos lábios suavemente dando leves puxões e mordiscando tirando gemidos dele que eram abafados durante o beijo.
Eu: Eu também te amo – sussurrei no ouvido dele e depois mordi seu lóbulo suavemente, seguidamente descendo para o seu pescoço e depositando um leve beijo, um gemido rouco passou por entre seus dentes. Sorri vitoriosa.
            Continuamos com toques leves, beijos suaves, caricias e vivenciando o momento lentamente e aproveitando cada sensação. Enfim estavamos competamente nus e eu ainda controlando tudo, ainda permanecia no controle e ele apenas cedia a todos os meus comandos. Suas mãos foram para minha cintura e enquanto seus lábios brincavam com os meus ele calmamente guiava minha vagina para o seu membro, encontrou a maneira de me penetrar e começou devagar. Mordi meus lábios encerrando o beijo e depois voltei a beijá-lo, era a primeira vez que eu estava por cima, não conseguiria encará-lo naquele momento. Ele começou devagar, colocou dois dedos e depois foi penetrando com mais intensidade, sentia o prazer deixar minhas pernas bambas – quase não conseguia mover meu corpo. Fechei meus olhos e apenas aproveitei o momento, gemidos escapavam de minha boca e eram abafados por seus beijos, ouvia-o gemer baixinho em meu ouvido – um gemido rouco e completamente sexy. O quarto parecia pegar fogo, nossos corpos praticamente faíscavam e as mãos dele exploravam cada parte do meu corpo sem pudor algum, seus lábios sabor morangos – ah como senti falta dos lábios dele – sobre os meus me causando arrepios constantes.
            Os movimentos foram ficando mais ousados e ele invertou a posição, ficando sobre mim e penetrando-me com mais intensidade e mais rapidez – era impossivel conter os gemidos. Seus lábios desceram para o meus pescoço e ele beijava suavemente, as vezes apenas ficava ali, sua respiração descompassada. Sentia seu coração bater forte sobre o meu peito e minhas mãos apenas passavam pelas costas dele, na medida que ele penetrava com mais intensidade me tirando um gemido mais rouco eu cravava minhas unhas em suas costas – não conseguia controlar – era estanteneo, como se meus dedos fizessem sozinhos. Não dava para explicar o que eu estava sentindo, mesmo se eu tentasse, mesmo se eu tentasse usar várias palavras, vários sentimentos e sensações – eu jamais conseguiria. Era algo muito além da realidade, algo completamente fora dos conhecimentos cientificos, ninguém jamais conseguiria explicar o quão bom era fazer amor com uma pessoa que fizesse você apenas enlouquecer a cada toque mais profundo, a cada suspiro próximo ao seu ouvido.
            Eu pudia sentir meu orgasmo chegar, uma sensação estranha se formando em meu estomago, minhas pernas ficando mais tremulas do que anteriormente. Meu corpo completamente amolecendo e meus músculos apenas se relaxando, era como se o peso do mês inteiro estivesse apenas caindo das minhas costas – algo inexplicavel, algo maravilhoso e sem explicação. Ele apenas aumentou ainda mais o ritmo das penetrações, os gemidos saiam mais altos e suas mãos seguram as minhas apertando-as enquanto seu corpo se movia sobre o meu me causando estranhas sensações, as melhores. Eu nunca poderia imaginar como isso era bom, eu jamais saberia a sensação se o Justin não tivesse me mostrado esse outro lado da vida, a vida sexual com alguém que você realmente ama – algo que eu jamais me imaginei vivenciando tão depressa. Após um tempo senti minha vagina contrair e o folego faltar, ele aumento mais o ritmo, meus olhos se fecharam sozinhos. A sensação de alivio e descarregamento apenas aumentava com o tempo, conforme ele me penetrava com mais intensidade e mais rápido. Enfim chegamos ao nosso ápice e ele foi diminuindo a penetração com o tempo, meus músculos estavam tão relaxados que meu corpo não obedecia aos meus comandos.
            Ele parou e ficou deitou sobre mim por um tempo, controlando sua respiração. Depois apenas deitou do meu lado me olhou e sorriu, o sorriso mais inocente possivel, sorri de alguns pensamentos que surgiram em minha mente.
Eu: Senti sua falta – sussurrei enquanto ele nos cobria com o lençol e seus olhos logo vieram de encontro aos meus, ele sorriu e depois selou seus lábios aos meus.
            Ficamos nos olhando durante um tempo e depois ele apenas me puxou para deitar sobre seu peito, seu coração já estava batendo normalmente – eu amava ouvir as batidas do coração dele – fiquei ouvindo-as com os olhos fechados, agradecendo a Deus mentalmente por colocar o Justin em minha vida, após um tempo apenas... Adormeci. 
Hey amores, tudo na boa!? gsadfsgafdgsfadas Não me matem por favor, porque se não vocês vão ficar na vontade de saber o resto da fanfic u.u MUAHUAHAUHA -qq Então baibes, desculpa por ter atrasado, mas é que as ideias para a parte hot estava falida, demorei três dias para fazer esse capitulo #motherofgod... Pois é, quando não se tem experiencia é meio complicado ;x KKKKKKK #loading Então minhas sonhadoras lindas, eu amei os comentários, o novo desing não me permite responder os comentários, mas eu irei responder alguns mais abaixo (dúvidas e leitoras novas). Aí pra vocês um capitulo hot e big, eu fiz com muito amor e carinho (safadeza também kk)... Então espero que vocês gostem e comentem muito, muito, muito mesmo *o* haha To muito feliz que agora tem bastante leitoras comentando, estou muito orgulhosa do nosso blog, estamos ganhando mais sonhadoras \õ/ Nossa família ta só aumentando :') #PROUD Isso aí meus amores. Tenham um ótima leitura e até a próxima postagem! Amo todas vocês

@biebergranulado own amor, sem problema mesmo hein. Bem-Vinda de volta e muito obrigada mesmo. xx

Brazilian Belieber  Ei meu anjo, senti sua falta aqui mesmo :/ Claro que eu lembro de você sonhadora, você está acompanhando o blog desde o começo, quando ele ainda não era nada do que é hoje e não tem como esquecer você ;) Pois é amor, as emoções tão rolando nos capítulos, é felicidade, tristeza, intriga... Tudo o que sempre teve nessa fanfic né kkk Ei, fico feliz que esteja de volta, seja bem-vinda de volta sonhadora e muito obrigada mesmo, incrível é você ! Agora você pode conferir a postagem, espero que goste. xx

Sonhos de uma belieber ! Hey, Seja super Bem-Vinda sonhadora \õ/ *carne nova no pedaço asida~dajs~djaspdj -qq #loading Ei amor, muito obrigada mesmo hein, fico feliz que tenha gostado e perfeita é você u.u Vou divulgar seu blog sim ;) Diva!? What!? Deixa de me iludir mesnina, plz u_u ahsuhaush' Isso aí meu amor. xx' 

Thais_lorinho - @JustinMeuMundo Ei sonhadora, seja super Bem-Vinda ~rebola ☺ Omg, obrigada, obrigada mesmo. Q linda você :') Fico muito feliz que tenha gostado assim da fanfic, faço com TODO amor e carinho possível pensando mesmo nas leitoras, em fazer com que elas gostem e consigam sonhar. Divulgando seu blog linda e obrigada mais uma vez, beijos. xx

Ps: Vou contar um segredo pra vocês... Shhh hein. Quando eu vejo os comentários de leitoras novas eu saiu correndo e gritando pela casa UAHSUAHUSHAUHS Minha mãe fica pensando que eu sou louca e tipo eu fico cantando e dançando *sou louca mesmo u.u É que eu fico muito feliz de ver que eu faço pelo menos alguma coisa que outras pessoas gostem >< Sério mesmo. Pronto, chega de papo.


20 comentários para próxima postagem... xx 

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Dreams - Part. 83

Postado por @slaysdrauhl às 21:00
Reações: 
33 comentários
Fiquei esperando ele se arrumar e enquanto isso conversava com a Jullie, chamei a Jullie e nós fomos no McDonald’s ali perto mesmo, fomos andando e conversando. Estava até liberando meus pensamentos até que entrei no mc e vi a última coisa que eu queria, não podia acreditar naquilo...

Jullie: Relaxa – sussurrou a Jullie segurando minha mão, respirei fundo.
            Entramos e eu se quer olhei para onde eles estavam, passei como se nem tivesse visto-os ali. Procuramos mesas, mas infelizmente havia uma um pouco perto da onde eles estavam, tivemos que ficar com ela mesmo. Estava o Justin e os amigos do basquete deles, o Adam estava junto com eles e a Jullie se quer se preocupou ou disse qualquer tipo de coisa, era do Justin que a Camilla estava atrás não do Adam. Ele estava lá com eles, conversando e sorrindo – parecia feliz. Quando entrei infelizmente conquistei seu olhar e depois disso ele não parou mais de ficar me regulando, vi os amigos dele virando para ver o que ele olhava e depois cochichavam entre si, a Camilla apenas virou e me olhou com desprezo – sorri de lado erguendo uma sobrancelha pra provoca-la e ela virou o rosto.
Argh, vadia.
            A garçonete veio nos atender e eu o Chris pedimos um Big Mac, a Jullie pediu apenas um CBO e pra beber pedimos Coca-Cola – sem dúvida. Ficamos conversando enquanto nossos lanches não chegavam, o Chris com as palhaças dele até me fez esquecer a presença do Justin.
Chris: Adivinha o que é isso? – perguntou ele erguendo um gardanapo com um desenho feito com ketchup.
Eu: Um porco – respondi e ele bufou revirando os olhos.
Chris: É um cachorro (SeuNome), usar a imaginação faz bem – sibilou ele e eu apenas gargalhei.
Eu: Não tenho culpa se seu cachorro parecia um porco – falei entre risos e ele bufou novamente pegando outro gardanapo.
Chris: Se pode fazer melhor, então faz aí – provocou ele e eu apenas peguei um guardanapo e fiz um desenho de uma casa.
Eu: Adivinha aí – falei sorrindo e ele assentiu negativamente.
Chris: Casa é fácil, quero ver tu fazer um cavalo – disse ele ainda mais provocante.
            A Jullie puxou um outro assunto e eles ficaram conversando, enquanto isso eu permanecia quieta desenhando meu cavalo no gardanapo. A garçonete trouxe os laches e eu se quer percebi a presença dela.
Chris: Ta fazendo o que? – perguntou ele e eu havia acabado de terminar minha obra de arte.
Eu: Tava desenhando um cavalo – falei mostrando o guardanapo e ele me olhou incredulo.
Chris: Ta brincando – disse ele boquiaberto pegando-o da minha mão, apenas sorri.
Eu: Tem coisas sobre mim que você não sabe, meu bem – disse e ele sorriu.
            Por impulso olhei para onde o Justin e seus novos “amiguinhos” estavam e ele sorriu, apenas sorri forçado. Comi meu lanche e o Chris ficava fazendo palhaçada até comendo – idiota mesmo – e eu não podia evitar os sorrisos, quando terminamos de comer ficamos brincando de desenhar e adivinhar o que era – até a Jullie entrou na brincadeira. Senti o Justin nos olhando e quando foi minha vez de desenhar, desenhei um coração partido. Mostrei pro Chris e olhei pra onde o Justin estava – e como eu imagine ele estava olhando – ele apenas abaixou a cabeça e o Chris sorriu de lado, voltamos a brincar e eu tentei ignorar ao máximo a presença dele. Vi-o levantando e saindo, indo embora. Fiquei olhando durante um tempo e depois voltei a conversar com a Jullie e com o Chris.
            Decidimos ir embora e quando eu estava passando por perto da mesa que a Camilla estava ela levantou com copo na mão e por impulso empurrei-a e o refrigerante e caiu na chão – provalmente era para cair em cima de mim.
Camilla: Desculpa eu não vi você – falou ela, sua cara de sinica.
Eu: Sem problema – falei com o sorriso mais falso do mundo.
Camilla: Foi embora da festa sem se despedir, ouve alguma coisa que não gostou? – perguntou ela e eu apenas respirei fundo.
            - Relaxa (SeuNome) – pensei.
Eu: Não houve nada demais, eu apenas estava cansada e decidi ir embora sem falar com ninguém – menti e muito bem, quer dizer ótimo.
Camilla: Ah sim – falou ela sorrindo.
            - Como pode ser tão falsa – pensei enquanto sorria.
Eu: Então, tenho que ir agora – falei e ela assentiu nos dando espaço, olhei pra Jullie e ela sorriu forçado.
Camilla: (SeuNome) – chamou ela quando eu estava quase saindo – Só mais uma coisa, cuida do Justin, ele ta carente e pode procurar consolo nos braços de outra pessoa.
Eu: Ah obrigado pelo conselho, aliás, precisamos estar sempre de olhos abertos com as vadias – falei sarcastica – Não é mesmo?
            Ela apenas me fitou com desprezo e depois virou as costas voltando pra onde estava e se quer devia ter saído, voltei a andar e a Jullie ficou me olhando incrédula.
Eu: O que foi? – perguntei confusa.
Jullie: Chamou ela de vadia? – perguntou ela boquiaberta.
Eu: Falei das vadias, se ela se doeu é porque se encaixa – falei com um sorriso travesso e ela apenas sorriu revirando os olhos.
            Fiquei pela casa da Jullie mesmo e só fui para casa a noite.
Eu: Boa noite mãe – falei passando pela sala, tentando fugir da conversa que ela queria ter comigo.
Mãe: Ei, volte aqui – chamou ela e eu fiquei parada durante um tempo antes de voltar para falar com ela.
Eu: Oi? – falei indo até onde ela estava e me sentando ao seu lado.
Mãe: A Jullie disse que você e o Justin estão brigados – murmurou ela e eu fiquei apenas brincando com meus dedos e olhando-os – Duas semanas, quer conversar sobre?
Eu: A primeira briga foi por causa das aulas com o Den e a segunda... – comecei e antes que eu terminasse ela me interrompeu.
Mãe: Havia uma menina sentada no colo dele na festa de aniversário – disse ela e eu apenas respirei fundo.
Eu: É – sussurrei, quase não deu para escutar.
Mãe: Sei que está magoada, mas ele também ficou magoado quando te viu com o Denyel – comentou ela e eu apenas fiquei quieta – Ta me escutando?
Eu: Estou mãe – falei erguendo minha cabeça – Ta ele ficou magoado por me ver com Deny, mas mesmo assim isso não era motivo para ele ir a uma festa sem me avisar e muito menos deixar a menina sentar no colo dele. Ele estava com os braços em volta da cintura dela, pareciam namoradinhos até, a Jullie te contou isso?
Mãe: Pareciam namoradinhos por imprudência sua – disse ela levantando-se.
Eu: Imprudência minha? – perguntei confusa.
Mãe: Se tivesse largado o orgulho e ter ido falar com ele nada disso teria acontecido – falou ela gesticulando e eu apenas bufei.
Eu: Ele dá a crise dele, diz um monte de coisa absurda e eu que tenho que pedir desculpa? – perguntei e depois me levantei decidida a acabar com aquela conversa.
Mãe: Imprudência de vocês dois na verdade, orgulho bobo – falou ela e eu apenas respirei fundo.
Eu: Mãe, nem precisa se preocupar com nada disso – falei indo até a cozinha e ela veio bem atrás de mim.
Mãe: (SeuNome) eu quero o seu bem e nem vem dizer que esse tempo no namoro de vocês é pro seu bem, porque sabemos que você não está nada bem – disse ela e parecia estar ficando brava.
Eu: Não importa se eu estou bem ou não – falei virando-me e ela me olhou assustada.
Mãe: Não importa? – perguntou ela confusa.
Eu: Quer dizer, argh eu não sei – disse brava por estar confusa.
Mãe: Você errou, ele errou, os dois erraram – falou ela vindo em minha direção e segurando minha mão – Vocês precisam conversar com calma, vão largar algo tão bonito por coisas tão pequenas?
            Fiquei olhando-a e não havia mais nada que eu pudesse dizer, por um lado ela estava certa, mas eu sabia que precisava de tempo para me acalmar. Ela me abraçou e ficamos assim durante um tempo, depois ela apenas subiu para o quarto dela, iria fazer um relatório para a nova gerente dela. Fiquei assistindo tv até que ouvi meu celular tocar, não conhecia o número, fiquei olhando a tela durante um tempo até que atendi.

(LigaçãoON)
Eu: Alô – falei e ninguém respondeu, a pessoa ainda estava na linha, podia ouvi alguém respirando.
            Fiquei ali durante um tempo repetindo “Alô” o tempo todo e nada da pessoa responder, já estava ficando irritada.
Eu: Não tem o que fazer não é? – perguntei e já estava decidida a desligar quando alguém começou a cantar.
I'm at a payphone trying to call home
All of my change I spent on you
Where have the times gone, baby it's all wrong
Where are the plans we made for two
·.

Não demorei para reconhecer a voz, era impossivel não reconhecer – era o Justin, meu Justin. Respirei fundo e ele continuo cantando.

Yeah, I, I know it's hard to remember
The people we used to be
It's even harder to picture
That you're not here next to me
You said it's too late to make it
But is it too late to try?
And in our time that you wasted
All of our bridges burnt down

I've wasted my nights
You turned out the lights
Now I'm paralyzed
Still stuck in that time when we called it love
But even the sun sets in paradise


Enquanto ouvia-o cantar eu não dizia nada, apenas sorria – chegava a ser mais do que lindo o que ele estava fazendo – era perfeito. Era como uma serenata, mas pelo telefone e mesmo se eu quisesse – eu não queria – eu conseguiria desligar e deixar de ouvir aquela voz doce e suave dele soando ao meu ouvido, sentia falta da voz dele, do cheiro dele, dos beijos dele – eu precisava senti-lo novamente.

I'm at a payphone trying to call home
All of my change I spent on you
Where have the times gone, baby it's all wrong
Where are the plans we made for two

If happy ever after did exist
I would still be holding you like this
All those fairy tales are full of shit
One more fucking love song I'll be sick

You turned your back on tomorrow
Cause you forgot yesterday
I gave you my love to borrow
But you just gave it away
You can't expect me to be fine
I don't expect you to care
I know I've said it before
But all of our bridges burnt down
I've wasted my nights
You turned out the lights
Now I'm paralyzed
Still stuck in that time when we called it love
But even the sun sets in paradise

I'm at a payphone trying to call home
All of my change I spent on you
Where have the times gone, baby it's all wrong
Where are the plans we made for two

If happy ever after did exist
I would still be holding you like this
All those fairy tales are full of shit
One more fucking love song I'll be sick

Now I'm at a payphone...

            Depois disso ele apenas parou, ficou silêncioso durante um tempo e eu juro que fiquei esperando-o cantar a parte do Wiz Khalifa, mas ele não cantou mais.
Justin: Sinto sua falta – sussurrou ele e eu apenas respirei fundo.
            Quando fui responder, talvez dizer “Sinto sua falta também” a ligação caiu, ele devia realmente estar em um telefone publico.
(LigaçãoOFF)

            Fiquei paralisada por alguns instantes, repensando em um monte de coisa. Ele cantando Payphone do Maroon 5 havia sido a coisa mais perfeita do mundo. Voltei ao normal depois de um tempo e subi sorrindo pro meu quarto, tomei um banho, coloquei meu pijama e depois fiquei deitada olhando para o teto e lembrando do Justin cantando para mim. Minha raiva já havia passado, eu não esqueceria o que aconteceu, mas não poderia brigar com ele por uma besteria nossa. Senti meus olhos pesando, até que não pude mais contê-los... Adormeci.

Continua...

Prontinho amores, postadoo! Era pra postar ontem, mas nem deu tempo e tava sem criatividade, mas tá aí um capítulo big pra vocês ;) Caramba, postei em um dia e no outro já tinha 17 comentários *o* omg, fiquei tão feliz sonhadoras. É ótimo ver vocês comentando, todas vocês comentando :') To muito orgulhosa e dedico esse capítulo à vocês. Não se preocupem que as brigas já irão acabar ;)

Vou ser abusada e vou pedir 20 comentários nesse capitulo, já que sempre que eu vou postar consequentemente tem vinte mesmo u.u ~DASDMAS~DSAD Espero que não demore muito dessa vez, porque da ultima vez demorou uma semana, masoq o_o #loading 

- Então amores, tenham uma ÓTIMA leitura e comentem muito heein >< kk Amo vocês s2'

20 comentários para a próxima postagem... xoxo'

sábado, 23 de junho de 2012

Dreams - Part. 82

Postado por @slaysdrauhl às 21:39
Reações: 
25 comentários
Me cansei e peguei a revistinha que a Ashy tinha me dado quando passei uma noite na casa dela e comecei a ler – fazia um tempo que não lia – era muito engrassada, cheia de histórinhas engraçadas e querendo ou não eu acabava sorrindo. Fiquei lendo durante um tempo e nem notei quando adormeci, apenas tudo se apagou do nada.

(JustinON)
            Não contar pra (SeuNome) que eu ia pra festa da Camilla foi a pior coisa que eu fiz, eu devia ter contado pra Jullie ao menos, assim ela ficaria sabendo de qualquer maneira. Eu não sabia que ela estava ali, eu se quer podia imaginar encontrá-la ali. Era a festa da Camilla, tinha que ser algo especial e eu não poderia estragar sendo um babaca com ela, eramos amigos a tanto tempo e até já tivemos um rolo, mas eu sou fiel a minha namorado – sou feil a (SeuNome). Enquanto lembrava das coisas que ela havia me dito, parado ali no estacionamento sozinho e fitando o nada eu comecei a sentir raiva, muito raiva de mim mesmo. Por que eu fui deixar a Camilla sentar no meu colo? Fiquei me perguntando um monte de coisa, nas últimas semanas eu estava apenas sendo um babaca com a (SeuNome). Após um tempo entrei para avisar que já estava indo embora.
Camilla: Já vai Justin? – perguntou ela segurando meu braço.
Eu: Vou sim, tenho que resolver uma coisa – falei sorrindo forçado.
Camilla: Mas a festa esta só começando, fica mais um pouco – insistiu ela e eu respirei fundo.
Eu: Camy minha namorada está com raiva de mim e eu preciso falar com ela – falei sem pensar muito e puxei meu braço saindo dali sem demora, ouvi-a esbravejar alguma coisa, apenas ignorei.
            Quando cheguei próximo ao meu carro peguei meu celular e tentei ligar pra (SeuNome), mas a ligação foi rejeitada, liguei novamente e foi pra caixa postal – por que ela tinha que ser tão dificil?! Entrei no carro e dei partida até a casa dela, eu iria resolver isso de uma vez por todas, eu havia sido um babaca e eu iria concertar tudo. “Vamos esperar um pouco e depois vemos no que dá”  aquelas palavras apenas não saiam da minha cabeça, não eu não iria perdê-la de novo. Dirigia complemente desconcentrado e as vezes apenas me mantinha calmo e prestava atenção no que eu estava fazendo, cheguei na frente da casa dela e estava tudo apagado, provalmente ela estava dormindo – eu ficaria ali o tempo que fosse preciso para me desculpar. Permaneci acordado durante um tempo, me deitei e fiquei ouvindo umas músicas até que adormeci.
(...)
            Acordei com a alarme do meu celular tocando e abri meus olhos com dificuldade, olhei ao redor e me lembrei da noite anterior – eu estava com uma dor de cabeça horrivel. Fiquei esperando durante um tempo até que vi a (SeuNome) saindo da casa dela, estava a caminho da escola. Abri a porta e fui correndo atrás dela.
Eu: Ei, (SeuNome) me espera – gritei e ela apressou os passos – (SeuNome).
(SeuNome): Af menino, você não sabe o que significa “esperar um tempo” não? – perguntou ela e parecia furiosa.
Eu: Não posso esperar – murmurei ofegante segurando o braço dela.
            Ela ficou me olhando durante um tempo e eu apenas fiquei olhando-a também.
(SeuNome): Me parou pra ficar olhando pra minha cara? – perguntou ela sarcastica, eu odiava quando ela fazia isso.
Eu: Não é que... – comecei e dei uma pausa pra respirar – Eu não devia ter dito nada do que eu disse quando vi você dando aulas ao Den, mas é que eu estava irritado e eu agi sem pensar nas consequências e sobre ontem... Me desculpa, eu não queria magoar você, a última coisa que queria nesse mundo era magoar você, por favor me perdoa.
(SeuNome): Não é fácil assim não Justin – murmurou ela e depois respirou fundo, seus olhos semi-cerrados demonstrando furia.
Eu: (SeuNome) por favor... – comecei e ela me interrompeu.
(SeuNome): Nem vem com essa Justin, o que você acharia de me ver sentada no colo de algum menino? Tenho certeza que iria dar sua crise de cíumes e ia falar um monte de coisa, se põe no meu lugar pelo menos uma vez na sua vida – falou ela e a cada palavra eu me encolhia – Eu só estava dando aulas ao Den e você quase me apedrejou por isso, então pelo amor de Deus né, não vem pedir pra esquecer ontem, por que eu jamais vou esquecer aquela cena... Nojenta.
Eu: Era o aniversário dela, queria que eu fizesse o que? Jogasse ela no chão? – perguntei irritado.
(SeuNome): Ah claro, agora toda a aniversariante vai sentar no seu colo? – perguntou e depois sorriu sarcastica – Não custava nada pedir pra ela sair né, garotos que consideram a namorada fariam isso.
Eu: Ta bom, eu errei em ter deixado ela ficar sentada no meu colo – falei me rendendo e ela ergueu uma sobrancelha.
(SeuNome): Vocês tavam tão fofos, ela no seu colo e você com os braços em volta da cintura dela, pareciam o casal perfeito -  murmurou ela forçando um sorriso.
Eu: (SeuNome) para com isso – murmurei olhando nos olhos dela, estavam estranhos.
(SeuNome): Para com isso você Justin, para de achar que é só você vir aqui e falar uma meia duzia de palavras fofas e eu vou cair nos seus braços e fingir que nada aconteceu – falou ela fria – A vida não é assim, relacionamentos são uma droga mesmo. Ou eu sou uma péssima namorada ou o péssimo namorado aqui é você.
Eu: (SeuNome) por favor – supliquei com os olhos cheios de lágrimas e mais uma vez ela me interrompeu.
(SeuNome): Por favor digo eu Justin, eu já disse que preciso de tempo – murmurou ela sem se quer olhar em meus olhos – Vamos pensar por um tempo, por as ideias no lugar e depois ver isso com mais calma.
            Fiquei olhando-a e ela respirou fundo e depois de um tempo virou as costas e foi andando enquanto eu fiquei parado, sussurrando o nome dela em pensamento. Demorei mais um pouco e depois fui até o meu carro e dei partida até minha casa, iria pra escola, mas entraria na segunda aula.
(JustinOFF)

            Eu realmente já não tinha mais forças para brigar com o Justin, já havia gastado quase todo o meu vocabulário, usado quase todas as palavras arrogantes que conheço e mesmo assim ele não me dava um espaço pra por meus pensamentos no lugar – ele era muito insistente. Não queria ter dito nada daquilo pra ele, mas a maioria estava presa dentro de mim e eu precisa liberar de qualquer maneira – apenas fiz – deixei ele triste com as minhas palavras. Pudia ver em seu olhar ele me implorando para parar de dizê-las, cada arrogancia minha cortava uma parte do meu coração, mas mesmo assim meu egoísmo não me deixava parar. Cheguei na escola e fui direto pra sala, não demorou muito e a Ashy estava sentada ao meu lado e todos os alunos em seus lugares. Ela falava alguma coisa, provavelmente reclamando da vida e eu se quer podia ouvi-la estava completamente imersa em meus pensamentos.
Ashley: (SeuNome) – chamou ela me balançando.
Eu: Oi – murmurei assustada e ela bufou, o professor começou a falar e ela fingiu prestar atenção.
            Fiquei olhando em volta e tentando prestar atenção na aula, estava dificil me concentrar enquanto pensava nas brigas com o Justin.
Professor: (SeuNome) – chamou ele e eu sai dos meus devaneios prestando atenção nele – Pode repetir o que eu acabei de dizer por favor?
Eu: Me desculpa, não estava prestando atenção – murmurei envergonhada e ouvi a Selena sorriu com a mais nova amiguinha dela, quando o professor se virou mostrei meu dedo do meio pra ela que bufou revirando os olhos.
            A primeira aula passou rápido e eu sai de uma logo indo para segunda, durante o caminho a Ashley reclamava sobre a Camilla, dizia não entender o porque dela ter feito aquilo se sabia que eu estava na festa e era namorado do Justin.
Ashley: Ela nunca havia agido assim antes (SeuNome) – falou ela pegando os livros.
Eu: Pensei que ela fosse legal – murmurei fria.
Ashley: Ela e o Justin já tiveram um rolo no passado, mas não assumiram namoro – comentou ela e eu respirei fundo, as verdades estavam aparecendo – Tenho certeza que o Justin não tem culpa nisso, ele jamais faria isso com você.
Eu: Ele já fez Ashy – falei seca e ela respirou fundo.
Ashley: Soube que a Camilla mudou pra nossa escola – comentou ela e eu a olhei assustada.
            O que? Não aquilo só podia ser brincadeira, não acredito que ela menina estava vindo estudar aqui. Eu estava sentindo que aquilo não iria prestar, gostei dela no começo, mas depois do que ela fez... Quero distancia.
Eu: Fala sério – murmurei enfiando minha cabeça no livro e respirando fundo.
            A professora começou a fazer explicações e começamos a prestar atenção, ele me pediu para lhe dar um exemplo de pleonasmo e quando fui respondê-la alguém entrou atrapalhando a aula, era o Justin.
Justin: Com licença – falou ele entrando e sentado-se em seu lugar, olhei-o e ele estava me olhando.
Professora: Atrasado senhor Bieber, esqueceu de ligar o despertador? – perguntou ela e algumas pessoas sorriram, ignorei a presença dele – Vamos continuar (SeuNome), me dê um exemplo de pleonasmo.
Eu: Vi uma lágrima cair dos seus olhos quando você chorou – respondi e ela sorriu satisfeita.
Professora: Parabéns – falou ela e eu assenti – Agora nos diga o que significa pleonasmo.
Eu: Pleonasmo pode ser tanto uma figura de linguagem quanto um vício de linguagem. É uma redundância, proposital ou não, em uma expressão, enfatizando-a - expliquei e ela mais uma vez sorriu satisfeita.
Professora: Vejo que anda lendo as apostilas – comentou ela e eu apenas sorri de lado, ouvi a Selena fofocar.
           A professora voltou a explicar a matéria e durante a aula inteira me foquei nela, tentando esquecer a presença do Justin, algumas vezes olhava pra ele e ele estava me olhando. Sorri quando ele fez uma piada com a professora. Aquela aula acabou rapido e a terceira também. Saímos para o intervalo e durante o tempo todo fiquei conversando com a Ashy e a Jullie, o Justin ficou com os amigos dele e a Camilla estava lá com eles. Via ela tentando se aproximar dele e ele apenas se afastando – as vezes. Voltamos para as aulas e em todas as últimas o Justin estava na mesma sala que eu, assim que bateu o sinal de saída peguei meu material e fui em direção a porta. Passei por perto do Justin e ouvi-o sussurrar “Eu te amo” não pude deixar de sorrir, era estantaneo.
            Fui embora andando com a Jullie e conversando, ela nem tocou no assunto da minha briga com o Justin. Perguntei do Chris, aliás, fazia tempos que não o via ela me disse que ele estava trancado em casa depois da morte da cachorrinha dele.
Eu: Pensei que ele tinha voltado para o Brasil – comentei e ela respirou fundo.
Jullie: Não quer mais voltar – murmurou ela e eu não disse nada, apenas fiquei quieta.
            Eu sabia o quanto o Chris gostava da Angel e sem duvida ele estava sofrendo muito por essa perda.
Eu: Se você puder me esperar, vou trocar de roupa e depois vou contigo quero ver o Chris – falei e ela sorriu assentindo.
            Entramos na minha casa e ela ficou me esperando assistindo tv, não demorei muito e quando desci encontrei minha mãe e a Jullie conversando.
Mãe: Vamos conversar depois – sibilou ela e eu assenti.
            Saí com a Jullie e ela estava toda desconfiada.
Eu: Sei que contou pra ela – comentei e ela respirou fundo.
Jullie: Pensei que ela já soubesse – murmurou ela e eu não disse nada, permaneci quieta.
            Assim que entramos vi o Chris jogado no sofá assistindo desenho.
Eu: Ta pior do que imaginei – comentei e ela assentiu.
            Fui andando devagar até lá e encostei do lado dele.
Eu: Luto? – perguntei e ele sorri de lado sentando-se e fazendo sinal para eu me sentar do seu lado, me sentei.
Chris: Quanto tempo – murmurou ele sorrindo.
Eu: É eu estava com uns problemas aí, mas tudo bem agora – comentei e ele sorriu, era ótimo vê-lo sorrindo.
Chris: E as novidades? – perguntou ele empolgado.
Jullie: Ela brigou com o Justin, de novo – gritou a Jullie da cozinha.
Eu: Cala a boca – gritei de volta e o Chris gargalhou.
Chris: Quando vocês dois vão parar de brigar, você briga mais com ele do que brigava comigo – comentou ele e eu sorri.
Eu: Ah Chris, não haviam milhares de gorotas tentando tirar você de mim – falei e ele me olhou sério, apenas gargalhei.
Chris: Eu fazia sucesso na escola menina – comentou ele e eu sorri, ele sorriu também.
Eu: Ah claro super desejado – falei sorrindo e ele gargalhou.
            Ficamos conversando durante um tempo e fazê-lo sorrir estava me fazendo bem, colocamos a conversar em dia, contamos tudo o que havia acontecido nos últimos dias.
Eu: Tá afim de ir no Mc? – perguntei e ele assentiu.
            Fiquei esperando ele se arrumar e enquanto isso conversava com a Jullie, chamei a Jullie e nós fomos no McDonald's ali perto mesmo, fomos andando e conversando. Estava até liberando meus pensamentos até que entrei e vi a última coisa que eu queria, não podia acreditar naquilo... 


POR FAVOR NÃO ME MATEM >< Ei meus anjinhos, sei que demorei um século pra postar, mas é que tipo... Eu ia postar antes de ontem, mas tava com dor de cabeça e sem criatividade, ia postar ontem, mas aí tava aquele fuzuê do Justin nos tinychat's e tipo eu tava no mesmo tiny que ele *o* Ainda nem acredito e quase morri né, fiquei falando sobre isso o tempo todo no tt KKKKKKK -qn #loading 
  - Então amores, espero que não fiquem bravas comigo e não deixem de comentar muito >< kk Espero ao menos recompensar a demora e MUITA COISA VAI ROLAR AÍ ;) Beijos e Boa leitura minhas sonhadoras. Amo vocês ♥

SONHADORA NOVA GENTE *quebra \õ/ _õ/\õ_ _õ_ a]s~dlad~,sadsandm s
Vitória Miranda seja Super Bem-Vinda, espero que esteja por aqui sempre colorindo o blog e obrigada pelo lindo comentário sonhadora ;) 

Próxima postagem mais de 15 comentários... xoxo'

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Dreams - Part. 81

Postado por @slaysdrauhl às 19:24
Reações: 
31 comentários
- Comentários do capitulo 80 respondidos ;)


Depois de um tempo fui ficando com sono e decidi dormir, já que amanhã teria que ir a escola. Eu nem havia dito pra (SeuNome) que seria o principe na festa de debutantes da Camilla, mas ela também não havia me dito que iria ensinar o Denyel. Senti meus olhos pesarem após um tempo, adormeci.
(JustinOFF)

Uma semana depois...

        As coisas ainda estavam estranhas entre eu e o Justin, ele faltava muito as aulas e quando ia ficava com orgulho bobo e não vinha falar comigo, aquilo já estava me matando mais ele queria guerra e ia ter. Depois de ajudar muito o Den ele fez a prova e ficou com uma ótima nota, me agradeceu várias vezes – até perdi as contas – e eu sempre dizia que não havia problema algum. O Justin as vezes mandava recadinho pela Jullie, dizendo que só iria voltar a falar comigo quando eu pedisse desculpa pra ele.
Ashley:  Quer ir a uma festa hoje? – perguntou ela enquanto íamos até a sala de aula.
Eu: Sem clima pra festa – falei e ela revirou os olhos.
Ashley: Fala sério, vai ficar nessa depre por causa do Justin? – perguntou ela e eu a fitei séria, ela apenas bufou – Sei que ele é seu namorado e que você ama ele, mas você não deve ficar se martirizando enquanto ele quer por a culpa toda em você.
Eu: Nada a ver Ashy, apenas não quero ir a festa – disse convicta e ela respirou fundo.
Ashley: (SeuNome) vamos, por favor – insistiu ela e eu a olhei durante um tempo – Vai ser bom pra você, assim você relaxa mais e põe as idéias no lugar.
Eu: Ashley – murmurei e ela sorriu.
Ashley: Sem mais, vamos e pronto – disse ela e depois me arrastou até a sala de aula, o Justin tava lá.
            Ele ficava me encarando – como se estivesse esperando eu ir falar com ele – e isso era desconfortável, apenas tentava ignorar o quanto podia, as vezes nos encaravamos e eu apenas desviava. Ele havia errado, ele que pedisse desculpa. O dia passou devagar e ele estava em todas as aulas – me encarando – quando saímos eu agradeci a Deus, não aguentava mais aquele tédio. Que saudade do meu namorado.
Jullie: Quando você vai largar esse orgulho e ir falar com o Justin? – perguntou ela enquanto íamos pra casa, respirei fundo.
Eu: Não fui eu que fiquei com ciuminho besta – respondi.
Jullie: Af, então vocês nunca mais vão se falar – disse ela irritada – Uma orgulhosa de um lado e um orgulhoso do outro, assim é foda viu.
Eu: Não vou falar e nem adianta ficar reclamando – falei seca e ela respirou fundo.
Jullie: Problema seu então – falou ela irritada.
Eu: Af, vai brigar comigo agora? – perguntei alterada.
Jullie: To tentando ajudar se não quer, então não reclama depois – falou ela autoritária.
Eu: Ta bom Jullie, ta bom – disse eu encerrando o assunto.
Jullie: Vai pra festa hoje? – perguntou ela mudando o assunto.
Eu: Não sei e você?
Jullie: Vamos – disse ela e eu olhei-a brevemente, não sabia que ela havia virado minha mãe.
            Cheguei em casa e logo fui subindo pro meu quarto, minha mãe não havia chegado pra almoçar ainda. Abri meu armário e droga, eu havia esquecido minha entrevista de emprego da semana passada, respirei fundo e liguei meu notebook seguidamente entrando em meu email. Havia um email da empresa lá, eles estavam remarcando a entrevista pra essa semana, hoje. Vi a hora e já estava quase em cima, eu não poderia me atrasar. Tomei um banho rápido e coloquei uma roupa adequada. Pedi uma carona pra minha mãe e ela logo aceitou, teria mais horas no almoço e daria tempo.
Mãe: Não acredito que esta indo numa entrevista de emprego – falou ela surpresa.
Eu: Er... – murmurei e ela sorria orgulhosa.
            Chegamos e a empresa era enorme, não muito longe de casa, mas também não era tão perto. Entramos e minha mãe ficou esperando do lado de fora enquanto eu fui até a sala da gerente me apresentar, ficamos conversando sobre um monte de coisa, sobre minha vida. Ela perguntou se eu tinha algum vicio, alguma tatuagem, se já fui presa e um monte coisa – um interrogatório.  O nome dela era Coutney Smith e a empresa era do pai dela.
Courtney: Eu adorei você (SeuNome) – falou ela ao fim da entrevista levantando-se e estendendo sua mão.
Eu: Isso é bom? – perguntei me levantando e apertando a mão dela suavemente, ela sorriu.
Courtney: Acho que sim – respondeu ela.
Eu: Fico honrada que pense assim – comentei  sorrindo.
Courtney: Vamos analisar seus dados e depois entramos em contato com você – falou ela me acompanhando até a porta.
Eu: Irei aguardar.
Courtney: Até mais ver – disse ela sorrindo. 
Eu: Até – murmurei e depois saí, a secretária pegou meus dados e minha mãe ficou do meu lado o tempo todo.
            Depois de terminarmos fomos comer alguma coisa, fomos ao McDonald's. Depois fomos ao shopping para eu comprar o vestido que usaria na festa de hoje a noite – eu nem sabia de quem era a festa. Minha mãe me deixou em casa e depois voltou pro trabalho, fiquei a tarde inteira de bobeira, então fiz minhas unhas e chapinha no cabelo.

(...)

            O Adam estava nos lavando para a tal festa e ele parecia tenso com alguma coisa, a Jullie e a Ashley ficavam falando sobre trabalhos escolares e eu? Eu ficava pensando no Justin, fazia duas semanas que não nos falavamos e nem se quer nos tocavamos. Eu estava com saudade dos seus beijos. Chegamos até o local e estava lotado, era festa da irmã de um dos meninos do basquete claro que estaria cheia. Entramos e a aniversáriante veio nos cumprimentar.
XX: Que bom que vieram – disse ela sorrindo, eu apenas sorri de volta.
Jullie: Ta bombando hein – comentou ela e a menina sorriu.
Ashley: Camilla, essa é a (SeuNome) – apresentou-me ela e a menina, quer dizer, Camilla sorriu pra mim.
Camilla: Namorada do Justin, não é? – perguntou ela estendando a mão.
Eu: Sim – murmurei forçando um sorriso e apertei a mão dela.
Camilla: É um prazer conhecê-la, ele vive falando de você – comentou ela e eu sorri.
            Como assim? Ela conhecia o Justin? Quem não conhecia o Justin, não é mesmo.
Eu: Ahn – murmurei e olhei em volta, estava bombando mesmo.
            Ficamos ali conversando em grupo durante um tempo e a menina, quer dizer, a Camilla foi falar com os outros convidados que iam chegando, simpatica ela. Fomos nos sentar, era festa de quinze anos e a valsa iria começar. Foi tudo tão lindo, tão bem montado eu reparava em alguns momentos, mas o Adam ficava puxando assunto e eu tinha que dar atenção para aquela coisa chata. Foquei na valsa e... O QUÊ? Não, eu estava vendo coisas ou... OU O PRINCIPE DA CAMILLA ERA O JUSTIN? Respirei fundo e fechei meus olhos, abrindo-os e fechando-os para me certificar de que aquilo não era um...PESADELO.
Adam: (SeuNome) ele ia te contar – falou ele quando percebeu que eu havia notado.
Eu: É, não contou – falei fria e ele respirou fundo – Ele reclamou que eu não avisei que ia dar aulas ao Den e agora ele vem a uma festa sem se quer me avisar, claro.
Adam: (SeuNome) – murmurou ele e eu o interrompi.
Eu: Tudo bem Adam, não tente explicar por ele – falei forçando um sorriso.
            A valsa havia sido linda, depois que terminou começou a rolar umas músicas eletrônicas e eu fiquei sentada batendo meu pé freneticamente no chão conforme a batida da música. Batia tão forte que sentia como se o chão estivesse rachando – apenas impressão – nem me importei, continuei batendo.
Ashley: Vem dançar (SeuNome) – chamou ela pegando minha mão e me carregando pra pista de dança.
            Fiquei apenas me mechendo um pouco e com o tempo fui me soltando, vi o Justin sentado com um grupinho de meninos perto de onde ficava as bebidas. Fiquei olhando durante um tempo até que vi a Camilla chegando e conversando com ele, fiquei olhando e a Ashley percebeu e logo olhei para ver o que eu tanto encarava.
Ashley: Relaxa amiga – falou ela tirando-me dos meus devaneios.
            Respirei fundo e voltei a dançar com ela, relaxei mais e estava até sorrindo, estava sorrindo até ver aquela cena – não aquilo não podia ser verdade. A Camilla estava sentada no colo do Justin e ele com a mão em volta da cintura dela e dessa forma eles conversavam com as outras pessoas que estavam ali com eles. Pareciam... Namorados. Senti meu sangue ferver e sem que eu percebesse o Adam já estava ao meu lado pegando meu braço e me tirando dali, eu não disse nada – mesmo se quisesse não conseguiria dizer nada – senti meus olhos marejarem e meu coração? Eu preferia não ter um, assim eu não estaria sentindo aquela dor, era como se ele estivesse sendo esmagado. Uma sensação estranha e que chegava a doer até em minha alma.
Eu:  Você devia ter ido falar com ele – sussurrei e o Adam me olhou durante um tempo, logo em seguida voltando a andar novamente.
            Passamos por perto do Justin, estava cheio de pessoas ali.
Eu: Ai – gritei quando uma menina pisou no pé e o Adam parou pra ver o que havia acontecido.
Adam: Machucou? – perguntou ele empurrando algumas pessoas.
Eu: Acho que não – respondi olhando meu pé e quando olhei para o Justin ele estava me olhando – Vamos – falei pegando a mão do Adam e puxando-o para fora dali.
            Olhei pra trás e vi o Justin tirando a Camilla do colo dele e levantando-se vindo bem atrás da gente, apressei meus passos e quando conseguimos sair respirei aliviada. Fomos andando até o estacionamento e o Adam foi procurar o carro dele, fiquei esperando-o e enquanto isso batia meu pé no chão apressada.
XX:  (SeuNome) – chamou uma voz conhecida e logo senti meu corpo congelar, era o Justin.
            Comecei a andar após um tempo, fingindo não ter ouvido ele me chamar, nem sei pra onde eu estava indo – indo atrás do Adam talvez – e ele vinha correndo atrás de mim.
Justin: (SeuNome) espera – gritou ele puxando meu braço, se quer olhei pra ele.
Eu: Faz assim, volta lá e põe a Camilla no teu colo de novo e finge que tu nem me viu aqui – falei sarcastica e ele virou meu rosto tentando fazer eu olhar pra ele.
Justin: Ta fazendo o que aqui? – perguntou ele e eu puxei meu braço de sua mão.
Eu: O que se faz numa festa? – rebati outra pergunta e ele bufou – Ai Justin, desculpa. Estraguei sua festa não foi? Desculpa mesmo, pode voltar já estou indo pra casa.
Justin: Para com isso (SeuNome) – murmurou ele tentando me tocar e eu me afastei.
Eu: Volta lá Justin, na boa mesmo – falei dando passos pra trás.
Justin: (SeuNome) precisamos conversar – sussurrou ele.
Eu: Não precisamos não – murmurei me afastando mais.
Justin: Você não me avisou que ia dar aulas ao Denyel – falou ele alterando a voz – Apenas fiz o mesmo que você.
Eu: Opa, espera aí dono da razão – falei apontando o dedo pra ele – Primeiro, eu tentei avisar não tenho culpa se você não atendeu a droga do telefone. Segundo, eu não sentei no colo do Denyel e terceiro, eu não fiz nada de errado apenas ajudei o Den a estudar e isso não foi nada divertido.
Justin: A Camilla é minha amiga – falou ele cerrando o cenho.
Eu: Ah claro, posso sentar no colo dos meus amigos? – perguntei com um sorriso sarcastico e ele bufou.
Justin: (SeuNome) – murmurou ele e eu o interrompi.
Eu: Na boa Justin, nem se explica – falei me afastando dele novamente – Vamos esperar um pouco e depois vemos no que dá.
            Vi o carro do Adam se aproximando de nós e ele estacionou e ficou me esperando lá, fui andando devagar e o Justin se quer disse mais nada, ficou apenas me olhando enquanto eu ia embora da mesma maneira que eu fiz com ele quando ele deu ataque de ciumes. Entrei no carro e o Adam não demorou para dar a partida até minha casa, o caminho foi silencioso e quando chegamos lá ficamos um tempo dentro do carro em silencio.
Adam: Era pra ser divertido – murmurou ele e eu respirei fundo.
Eu: Infelizmente não foi – disse eu e ele bufou – Tudo bem Adam, obrigado por me trazer, pode voltar e se divertir agora – falei com um sorriso forçado e ele deu um meio sorriso.
            Abri a porta e saí me despedindo dele.
Adam: Se cuida marrentinha – disse ele sorrindo.
Eu: Você também – murmurei e depois fui até em casa.
            Entrei e minha mãe estava na sala assistindo tv.
Mãe: Como foi a festa? – perguntou ela quando notou minha presença.
Eu: Uma merda – respondi sem demora.
Mãe: O que aconteceu? – perguntou ela se levantando.
Eu: To cansada, conversamos amanhã – falei subindo e entrando em meu quarto trancando a porta.
            Eu estava triste, decepcionada e com muita raiva – sentia tudo, menos vontade de chorar. Peguei meu notebook e fiquei mexendo no twitter, vendo vídeos e baixando músicas para o meu ipod já que ele será meu companheiro por um bom tempo. Eu não sabia o que seria do meu namoro com o Justin, eu estava com muita raiva dele – esperaria passar para depois tomar uma decisão. Ouvi meu celular tocar e quando olhei era o Justin, sem nem pensar muito apertei o botão recusar e depois desliguei-o tirando a bateria e jogando-o sobre o criado mudo sem dó. Decidi ver alguns arquivos do meu computador e lá haviam algumas fotos minha e dele, alguns fotos dele e eu fiquei olhando-as enquanto pensava em um monte de coisa misturada. Me cansei e peguei a revistinha que a Ashy tinha me dado quando passei uma noite na casa dela e comecei a ler – fazia um tempo que não lia – era muito engraçada, cheia de histórinhas engraçadas e querendo ou não eu acabava sorrindo. Fiquei lendo durante um tempo e nem notei quando adormeci, apenas tudo se apagou do nada.

 Ei, prontinhos amoores ;) Esses 15 comentários demoraram hein, acho que foi porque não avisei algumas pessoas :/ Me desculpem, mas eu fiz correndo e não deu tempo de avisar aquele. Espero que gostem do capítulo e comentem muito, muito mesmo >< kk Boa leitura minhas sonhadoras! Amo vocês :* 

SONHADORA NOVA GENTE \õ/ É a @MsBrunaSantos e ela é uma fofa sonhadoras, não é Belieber, mas gosta do Justin e também gostou do Imagine *-* Seja bem-vinda amor, espero que esteja conosco sempre colorindo o blog ;) xoxo'


Uma vez sonhadora, SEMPRE sonhadora ! 

   - Obrigado por tudo meus anjos, as sonhadoras que estão comigo desde o começo, as que chegaram agora, as que tão chegando. À todas vocês que sempre acompanham e comentam o Imagine. Vocês fazem muita parte disso tudo e eu agradeço muito a cada uma de vocês, sem vocês não haveria nada disso :') Muito obrigada por tudo, TUDO mesmo! 


Mais de 15 comentários próxima postagem... xoxo'

 

* Only Imagine Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos