domingo, 29 de janeiro de 2012

Dreams - Part. 54

Postado por @slaysdrauhl às 17:52
Reações: 
16 comentários
O dia tinha sido cansativo e ainda bem que tudo se resolveu no final, fiquei tentando manter meus olhos abertos para ouvir os batimentos do Justin mais logo meus olhos começaram a se fechar e quando me dei por conta já estava dormindo.

(JustinON)
            Às vezes nossas atitudes transformam as coisas na maneira certa de corrigimos os nossos erros, eu pensei que nunca mais conseguiria reconquistar a (SeuNome) e ter de volta tudo o que eu tinha antes daquela armação toda. Hoje eu fui prova viva de que se dissermos a verdade do nosso coração se persistirmos e lutarmos até que tudo esteja realmente acabado conseguimos alcançar todos os nossos desejos e sonhos que queremos que se realizem. Sonhar não é uma coisa para fracos e sim para pessoas fortes que acreditam e que permanecem na fé até que ele se realize e que te faça crer que sonhos não são apenas vontades que nunca serão concebidas e sim uma coisa que vai mover a sua vida da total realidade e nos fazer viver em um mundo que criamos com a nossa mente e que construímos com a nossa fé. Ter a (SeuNome) nos meus braços novamente e poder beijá-la era um dos meus maiores sonhos realizados, ver as coisas se acertando e saber que agora ela é minha novamente estava sendo quase que inacreditável. Eu estava morrendo de sono, mas não queria dormir e despertar vendo que tudo aquilo não passou de um sonho enquanto eu dormia, eu queria dormir e acordar vivendo aquele mesmo sonho de ter ela comigo sempre. “Boa noite Jay” aquelas ultimas palavras dela me fazia sorrir feito um idiota enquanto eu permanecia acordado pensando enquanto fazia cafuné em seu cabelo, passei a língua sobre meus lábios e senti o sabor tutti-frutti dos lábios dela ainda nos meus. As coisas agora pareciam estar resolvidas e isso era ótimo para nós dois, amanhã vou ter que ligar para o John para vir nos buscar e não vejo a hora de que todos fiquem sabendo que eu e a (SeuNome) estamos juntos novamente e dessa vez nada e nem ninguém irá nos separar. Meus olhos começaram a ficar pesados na medida em que eu ia pensando eles se fechavam cada vez mais até que tudo ficou escuro.
...
            Acordei com o vento invadindo o quarto, abri meus olhos lentamente por conta da luz e logo o barulho da chuva forte penetrou minha mente me fazendo me mechar. A (SeuNome) ainda estava deitada em meu peito dormindo e quando eu me movi ela se moveu, fiquei parado controlando até mesmo a minha respiração para que ela não acordasse. A claridade invadia o quarto cada vez mais e meu sono havia ido completamente embora, deitei a (SeuNome) sobre o travesseiro que estava ao lado vagarosamente para que ela não despertasse. Me levantei e fui direto para o banheiro tomar um banho relaxante, assim que terminei me troquei e saí do banheiro. A minha bebê ainda dormia feito um anjo, fiquei olhando-a dormir durante um tempo e depois selei seus lábios suavemente. Peguei uma camisa e depois desci até o restaurante para pedir um café da manhã aqui no quarto, desci e fiz o pedido com todas as minhas exigências e com tudo que a minha namorada merece. Subi para o quarto novamente junto com um dos garçons e abri a porta do quarto lentamente sem fazer barulho, a (SeuNome) não estava mais na cama ouvi o barulho da água caindo no banheiro e fiz sinal para que ele entrasse e colocasse as coisas lá dentro logo. Havia uma mesa na sacada, eu mesmo fiz questão de arrumá-la depois de dispensar o garçom. Voltei para o quarto e liguei a TV me jogando na cama e esperando a (SeuNome) sair do banho.
(JustinOFF)
            Acordei e demorei em abrir meus olhos completamente por conta da claridade, enfim consegui mate-los abertos e percebi que o Justin não estava mais na cama. Levantei-me e arrumei meu cabelo.
Eu: Justin? – chamei procurando por ele.
            Percebi que ele não estava mais no quarto e peguei uma roupa indo até o banheiro tomar um banho, fiquei debaixo da água refletindo sobre todas as coisas boas que estavam começando acontecer nessa minha reconciliação com o Justin. Depois de um bom tempo sai do banho, me troquei e depois sai do banheiro me deparando com o Justin na cama que logo me olhou e sorriu se levantando e vindo em minha direção.
Justin: Bom dia meu amor – falou ele e selou meus lábios.
Eu: Bom dia Jay – falei assim que ele separou seus lábios dos meus.
Justin: Eu tenho uma surpresa – falou ele sorrindo sem jeito.
Eu: Ah que saudade das suas surpresas – falei sorrindo.
Justin: Eu sei que é clichê às vezes – falou ele com as bochechas coradas – É coisa de idiota.
Eu: Não é nada meu amor – falei selando os lábios dele – É coisa de Justin, do meu Justin.
            Ele abriu um sorriso imenso e logo em seguida me beijou, pediu passagem para sua língua e eu concedi. Sua língua áspera explorava cada parte da minha boca enquanto suas mãos acariciavam a minha cintura e a minha a sua nuca. Sentia minha cabeça latejar pela falta de ar e meu coração estava totalmente descompassado, mas eu não estava me importando com nada disso eu só queria estar assim com ele sempre. Encerramos o beijo com selinhos leves e eu dei uma leve puxada no lábio inferior dele tirando um suspirou abafado por mais um selinho meu. Olhamos um nos olhos do outro e sorrimos juntando nossas testa enquanto ainda encarávamos um ao outro.
Justin: Pronta para surpresa? – perguntou ele sorrindo.
            Assenti sorrindo e ele selou meus lábios mais uma vez.
Justin: Dessa vez não foi feito por mim – falou ele e depois fez biquinho – Mas espero que goste das coisas que eu escolhi.
            Sorri ansioso para ver o que ele havia aprontado ele tampou meus olhos com as suas mãos e me guiou até onde estava a tal surpresa.
Justin: Pronto – falou ele tirando a mão dos meus olhos.
            Assim que olhei aquilo me lembrei de todas as outras vezes em que ele fez o mesmo por mim, fiquei olhando encantada cada coisa que tinha ali.
Eu: Que lindo Jay – falei e logo em seguida me virei e selei nossos lábios.
Justin: Que bom que gostou – falou ele e depois selou nossos lábios novamente.
            Sorri e ele retribuiu animado, fui até uma das cadeiras e ele a puxou para mim.
Eu: Obrigado – falei sorrindo e me sentando.
            Ele sorriu e deu a volta se sentando também, havia várias coisas diferentes para comermos. Waffles, torradas, panquecas, frutas e várias outras delicias. Tomamos café e o Justin ficava contando umas piadas o tempo todo, ele sempre tinha uma nova. Às vezes não tinha graça alguma e ele sorria sozinho e eu acabava sorrindo junto, era contagiante. Depois que terminamos de tomar café fomos passear, conhecer mais um pouco daquela cidade. A chuva já havia parado mais ainda estava nublado.
Justin: Eu liguei para o John e ele disse que vem nos buscar amanhã cedo – falou ele enquanto comprava sorvete.
Eu: Okay – falei sorrindo e logo em seguida pegando o sorvete – Obrigado.
Justin: Não há de que senhora Bieber – falou ele sorrindo e me selando.
            Fiquei impressionada ao ouvi-lo dizer aquilo, era mais que um sonho para mim o sobre nome dele no meu. Andamos mais um pouco enquanto tomávamos o nosso sorvete, foi ficando escuro e começando a chuviscar. Fomos andando até o hotel e quando estávamos próximo a ele a chuva ficou grossa, corremos até o hotel e eu ainda estava tomando o meu sorvete. O Justin parou para me esperar e eu correndo feito louca esbarrei nele sujando sua blusa com o sorvete.
Eu: Ah Justin desculpa – falei abrindo a boca impressionada e arregalando os olhos.
            Ele olhou para a blusa e depois me fitou sério.
Justin: Agora você vai ver – falou ele me encarando e eu saí correndo.
            Passamos correndo pela recepção e todos ficavam nos olhando, parecíamos duas crianças brincando. Eu não conseguia parar de correr e sorrir enquanto ele vinha atrás de mim sorrindo.
Justin: Vem aqui (SeuNome) – falou ele correndo ainda mais.
Eu: Desculpa Justin – falei correndo até as escadas.
            Subi as escadas correndo e ele ainda vinha atrás de mim.
Eu: Me deixa Justin – gritei sorrindo.
            Eu já estava sem fôlego e assim que cheguei perto do nosso quarto entrei e fechei a porta sem trancá-la. Corri e tentei entrar em baixo da cama, senti alguém puxar meus pés e comecei a me debater.
Justin: Vem aqui menina malvada – falou ele me puxando.
Eu: Não – falei sorrindo e tentando puxar meus pés.

Continua...
----------------------------------------------------------------------------------------------
Desculpa a demora hein amores, estava um pouco afastada mais já estou de volta \õ/

palomalovejustin Seja bem vinda anjo, espero que fica sempre por aqui. E que bom que gostou do #ib :D 

Até a próxima postagem... Amo vocês s2 Bjustin :*

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Dreams - Part. 53

Postado por @slaysdrauhl às 14:16
Reações: 
14 comentários
Fiquei trocando de canal até que cheguei ao de desenhos e estava passando Bob Esponja, parei para assistir e até que me divertir com as palhaçadas do Bob com o Patrick.

            Já estava escuro e nada do Justin voltar, a chuva voltou com relâmpagos e trovões. Eu fiquei com medo por estar sozinha com aquela chuva que parecia que o mundo iria desabar, me cobri até a cabeça quando deu um trovão forte e logo em seguida bateram na porta. Me levantei e fui abrir a porta, desliguei a televisão e assim que abri a porta dei de cara com o Justin me olhando fixamente.
            Seus olhos estavam vermelhos, acho que assim como eu ele estava chorando.
Justin: (SeuNome) – murmurou ele e me abraçou.
            Abracei ele o mais rápido possível e o mais forte que eu pude, logo meus olhos marejaram e as lágrimas lavaram meu rosto. Ficamos abraçados durante um tempo e eu o ouvia soluçar, me afastei dele um pouco e segurei seu rosto para que ele me olhasse.
Eu: Me desculpe Justin – falei e ele apenas chorava me fazendo chorar ainda mais.
Justin: Por favor – sussurrou ele entre soluços – Por favor.
            Olhei em seus olhos, vê-lo sofrendo daquele jeito só estava me machucando ainda mais. Sei que o fiz sofrer quando não acreditei em suas palavras e disse coisas que não devia, mas agora ele parecia sofrer ainda mais. Enquanto pensava ia chegando meu rosto mais perto do dele, eu ia acabar com a dor. Selei meus lábios nos dele e colei nossos corpos envolvendo o pescoço dele, suas mãos foram até minha cintura e logo ele pediu passagem para sua língua e eu concedi. Sua língua explorava cada parte da minha boca enquanto eu me acalmava e sentia mais uma vez o sabor morango dos seus lábios sobre os meus depois de tanto tempo sem eles. O ar já me faltava, mas eu não queria parar de beijá-lo nunca mais. Aquele estava sendo o meu ponto de paz, mas uma vez nos braços dele depois de tanto sofrimento. Ficamos nos beijando durante um longo tempo, o beijo foi ficando mais calma e o Justin puxava meu lábio inferior me tirando suspiros. Encerramos o beijo com selinhos demorados e logo depois o Justin encostou sua testa na minha ainda de olhos fechados. Fiquei olhando para o seu rosto retomando cada detalhe de perfeição que havia nele.
Justin: Eu te amo – sussurrou ele abrindo os olhos e olhando fundo nos meus.
Eu: Eu também te amo – sussurrei e ele sorriu logo em seguida selando meus lábios suavemente.
            Ficamos nos olhando durante um tempo enquanto o Justin acariciava meu rosto eu passava a mão na sua nuca subindo e bagunçando mais o seu cabelo. Ele me beijou novamente e depois me convidou para assistir um filme, ficamos assistindo uma comédia romântica e como sempre eu ria ainda mais do Justin imitando as partes do filme. Foi ficando tarde e pedimos uma pizza, comemos enquanto conversávamos sobre o que aconteceu durante o tempo que passamos separados. Voltamos a assistir desenho e agora estava passando Bob Esponja de novo, o Justin ficava imitando a risada do Bob e eu quase me urinava de tanto rir daquele garoto. Sentia falta disso, dessa loucura toda, dos momentos divertidos que eu passava sempre ao lado dele e agora pelo o que eu vejo as coisas estão voltando a ser como antes.
Justin: Agora é sua vez de imitar a risada do Bob – falou ele sorrindo.
Eu: Mas eu não sei – falei ainda rindo da imitação do Justin.
Justin: Vai (SeuNome) – falou ele fazendo biquinho.
            Respirei fundo e comecei a rir antes mesmo de imitar, o Justin ficava me olhando e segurando a risada.
Eu: Vamos lá – falei e depois imitei a risada fazendo o Justin rolar de rir.
            Ele ficou rindo feito um doido e até chorou, eu comecei a rir e depois fiquei sem graça.
Justin: Ficou mais parecida com a do Pica Pau – falou ele gargalhando.
Eu: Nada haver – falei ficando séria e fazendo biquinho.
Justin: Faz de novo – falou ele rindo da minha cara.
Eu: Não – falei e me levantei da cama.
            Antes que eu andasse Justin me puxou me jogando com tudo na cama, subindo em cima de mim e me fazendo cócegas.
Eu: Pa-para Jus-Justin – eu falava enquanto me contorcia toda e sorria feito uma maluca.
Justin: Então diz que você vai fazer a risada – falou ele parando um pouco.
Eu: Não... – falei e antes que eu terminasse, ele começou a fazer cócegas novamente.
            Eu tentava empurrar ele mais não adiantava em nada, eu estava rindo tanto que já estava ficando sem ar.
Eu: EU FAÇO A RISADA – gritei e ele parou na hora.
            Ele saiu de cima de mim e eu respirei fundo me acalmando, meu coração estava a mil e minha barriga estava doendo de tanta risada que eu dei.
Eu: Você vai me pagar – falei ainda respirando fundo e ele apenas sorriu.
            Levantei-me e olhei para ele que parecia esperar pela maldita imitação, ele esticou as mãos ameaçando de me fazer cócegas mais uma vez.
Eu: Eu já vou fazer – falei dando língua pra ele.
            Eu respirei fundo e imitei a risada mais uma vez, ele ficou me olhando fixamente até que me puxou para um beijo. Cedi ao beijo e ele passou sua língua áspera sobre os meus lábios pedindo passagem. Concedi e logo nossas línguas travavam uma batalha, o Justin me puxou sentando-me em seu colo e eu envolvi sua cintura intensificando mais o beijo. Ele apertava a minha cintura enquanto eu passava as mãos na nuca dele subindo para o seu cabelo, minha intimidade começou a pulsar ao sentir a ereção do Justin entrar em contato com ela. Levei minhas mãos até as dele que estavam na minha cintura e entrelacei nossos dedos encerrando o beijo com selinhos leves e depois fiquei olhando em seus olhos durante um tempo, ele ficou passando seus dedos nos meus enquanto ficávamos um encarando o outro.
Justin: Eu achei isso – sussurrou ele pegando o anel de compromisso que ele me deu quando começamos a namorar em seu bolso – Estava no chão próximo à recepção.
Eu: Desculpe – sussurrei abaixando a cabeça.
Justin: Eu sei que estava irritada – falou ele erguendo minha cabeça e olhando em meus olhos – Mas se não quiser mais alguma coisa que eu te dei apenas me devolva, não jogue fora algo em que coloquei meus sentimentos.
Eu: Eu sinto muito – falei olhando em seus olhos.
Justin: Posso por de volta no seu dedo? – perguntou ele meio sem jeito.
Eu: Não acha melhor começarmos devagar? – perguntei ignorando sua pergunta.
Justin: Já se passaram um mês, tempo demais não acha – falou ele sorrindo e pegando meu dedo logo em seguida colocando o anel nele e beijando-o – É minha novamente.
            Antes mesmo que eu falasse alguma coisa ele me beijou, com todo o carinho e respeito. Levei minhas mãos até o rosto dele enquanto ele envolveu minha cintura mais uma vez, aquilo era viciante eu não queria mais parar de beijá-lo de sentir sua língua se encontrar com a minha dentro de nossas bocas e sentir seus lábios macios sobre os meus. Encerramos o beijo depois de um longo tempo de carinho e sorrimos um pro outro com os rostos ainda próximos.
Eu: Desculpa por não ter acreditado em você – falei cerrando os lábios.
Justin: Me desculpe por não ter sido forte o suficiente para empurrar a Selena – falou ele passando a mão nos meus cabelos.
Eu: Me desculpe por ter dito todas aquelas coisas – falei sem jeito.
Justin: Me desculpe pelas brigas – falou ele e depois selou seus lábios nos meus.
Eu: Eu te desculpo – falei assim que ele afastou seus lábios dos meus.
Justin: Eu também – falou ele em intervalos de selinhos – Eu prometo nunca mais quebrar as minhas promessas.
Eu: Acho bom mesmo – falei e depois selei seus lábios.
Justin: Temos que fazer uma promessa – falou ele me tirando do colo dele, me deitando e subindo em cima de mim.
Eu: Qual? – falei olhando seus olhos que reparavam em meu rosto enquanto suas mãos passavam nos meus cabelos.
Justin: Que não vamos mais duvidar um da palavra do outro – começou ele descendo com a ponta dos seus dedos pelo meu nariz e fazendo o contorno – E que antes de brigarmos vamos conversar, sem mais sofrimentos – concluiu ele descendo seu dedo até meus lábios e fazendo o contorno deles logo beijando minha boca levemente puxando meus lábios.
            Sempre quando ele me beijava daquela forma eu ficava um pouco lesada e demorava algum tempo para voltar à realidade, era impressionante ouvir ele me dizendo aquelas coisas. Ele tão cobiçado e perfeito afim de mim que nem tenho muitos atrativos, eu tinha uma grande sorte por ter o Justin me amando de verdade ele chegava a ser meu sonho realizado um dos sonhos que eu mais temia que acontecesse. Ele se tornou toda a minha vida, o motivo pelo qual eu estou viva, o ar que eu respiro minha razão de seguir em frente sempre pensando na melhor parte que é tê-lo comigo sempre. Não eternamente porque nada dura eternamente, mais enquanto durar será perfeito e ele é e sempre vai ser o meu garoto perfeito, feito sobre medida para mim.
Justin: (SeuNome)?! – chamou ele tirando-me dos meus devaneios.
Eu: Ah desculpa – falei sorrindo sem jeito.
Justin: Aceita a promessa? – perguntou ele sorrindo.
Eu: Eu aceito – falei e seu sorriso aumentou me fazendo sorrir junto.
Justin: Eu prometo te fazer a garota mais feliz do mundo – falou ele selando seus lábios nos meus.
Eu: Mas você já faz isso – falei assim que ele parou de me beijar.
Justin: A mulher mais feliz do mundo – falou ele passando a mão nos meus cabelos – Vamos ter dois filhos, primeiro um menino e depois uma menina. Vou ensinar ao nosso filho a respeitar a irmãzinha dele e proteger ela dos caras maus.
            Eu sorri do comentário dele, chega a ser inacreditável vê-lo fazendo planos para o futuro me incluindo como sua mulher.
Justin: O menino tem que ser forte como eu e a menina têm que ser linda como a mãe – falou ele sorrindo e me deixando envergonhada – Quer dizer eu quero que os dois tenham os olhos e o sorriso iguais aos seus.
Eu: Eu prefiro o seu sorriso – falei e ele negativou.
Justin: O seu é o mais perfeito de todo o mundo – falou ele e eu sorri – Eu disse.
            Fiquei envergonhada enquanto o Justin reparava em meu rosto, ele afastou seu corpo um pouco do meu e olhou para a minha barriga que estava de fora por conta da minha blusa que levantou quando ele subiu em cima de mim.
Justin: Já posso imaginar a sua barriga crescendo – falou ele passando a mão na minha barriga e eu me arrepiei inteira – E depois nossos filhos correndo juntos dentro de casa e nos trazendo alegria de sobra, eu sempre vou te amar (SeuNome).
            Fiquei olhando para o seu rosto enquanto ele parecia viajar fazendo planos para o nosso futuro, futuro que ele mesmo está descrevendo do modo como ele quer que seja. Ele voltou a olhar para o meu rosto novamente e depois de um tempo selou seus lábios nos meus e aproximou seu corpo novamente deixando uma de suas mãos em minha cintura apertando-a e me puxando mais contra seu corpo. Ele passou a língua sobre meus lábios e depois o mordeu me tirando um gemido que foi abafado por seu beijo, o beijo estava suavemente enlouquecedor e eu não queria que parasse. O Justin começou a enfiar a mão por entre minha blusa enquanto eu passava as mãos em seus cabelos e puncionava sua boca ainda mais sobre a minha. Ele me levantou mais sobre a cama sem partir o beijo e encaixou suas pernas entre as minhas colando nossos corpos ainda mais, estávamos perdendo totalmente o controle e quando o Justin estava descendo suas mãos até minha calça para desabotoá-la ouvimos um estrondo horrível dentro do quarto. Ele pulou de cima de mim com o susto e eu sentei, olhamos e a TV que a poucos estava desligada agora estava ligada e em um volume muito alto. Nos entre olhamos e sorrimos da situação, o Justin desligou e voltou a deitar ao meu lado na cama.
Justin: Que susto – falou ele ofegante – Sempre tem algo para atrapalhar.
            Apenas assenti ainda estava retomando o meu ar, o Justin me olhou e eu senti minhas bochechas queimarem.
Justin: Não precisava ficar com vergonha – falou ele chegando mais perto de mim e segurando meu rosto para que eu o olhasse – Um dia vamos fazer isso, para podermos providenciar os nossos filhos – concluiu ele passando as pontas dos dedos no meu braço.
Eu: Eu sei... – falei abaixando a cabeça e respirando fundo.
Justin: Se não estiver pronta ainda, eu espero – falou ele erguendo minha cabeça novamente e sorrindo.
            Sorri sem jeito e ele depositou um beijo em minha testa.
Justin: Hora de dormir bebê – falou ele acendendo a luz do abajur apagando a do quarto.
            Ele deitou do meu lado e eu fiquei toda sem jeito perto dele, logo ele me puxou para deitar em seu peito.
Justin: Boa noite namorada – falou ele e respirou aliviado.
Eu: Boa noite Jay – falei sonolenta.
            O dia tinha sido cansativo e ainda bem que tudo se resolveu no final, fiquei tentando manter meus olhos abertos para ouvir os batimentos do Justin mais logo meus olhos começaram a se fechar e quando me dei por conta já estava dormindo.

Continua...
--------------------------------------------------------------------------------------------
Postado minhas sonhadoras, enfim o grande dia em que os dois voltaram a se entender e reataram o namoro. Agora eles não devem mais cometer erros ou quebrar promessas, muitas águas vão rolar nesse riacho ainda então fiquem comigo acompanhando tudo! Nossa eu andei reparando esses dias que algumas leitoras me abandonaram :/ Quero agradecer as minhas leitoras e sonhadoras fiéis que sempre estão aqui comigo colorindo o meu blog e trazendo alegrias com esses comentários maravilhosos e inspiradores :) Amo muito vocês e espero que continuem aqui sempre s2

Então é isso minhas sonhadores maravilhosas, um beijo para todas vocês e até a próxima postagem :D

O que acharam do novo visual do blog? Quero que saibam que eu faço de tudo para ele ficar de um modo que faça vocês se sentirem a vontade e sonhar ultrapassando os limites da realidade :) 

domingo, 22 de janeiro de 2012

Dreams - Part. 52

Postado por @slaysdrauhl às 15:01
Reações: 
15 comentários
Fui andando até aquela praça onde o Math me levou mais cedo, estava chovendo e eu já estava toda molhada e morrendo de frio. Assim que cheguei lá me sentei em baixo de uma árvore e as lágrimas teimosas começaram a cair sobre meu rosto, logo eu estava chorando tanto que soluçava. Eu não queria mais brigar, eu não queria me ferir ainda mais queria apenas acertar tudo e que as coisas voltassem a ser a mesma. Fiquei ali durante um tempo, pensando. Passavam algumas pessoas ali, poucas pessoas e me olhavam com pena. Logo parei de chorar e fiquei apenas pensando nessa vida difícil que eu ando tendo, meus sonhos virando pesadelos e a indiferença entre eu e o Justin. A chuva já havia passado e já eram 18:00 horas, eu estava cansada e com muito frio.

(JustinON)
            Ela saiu me deixando sozinho e com muita raiva, eu não queria mais brigar. Suas palavras e suas atitudes me machucavam cada vez mais e as feridas que já haviam se cicatrizados estavam mais uma vez em meu coração, será que é difícil para ela entender que eu ainda a amo?! Vê-la saindo com aquela tal de Math me deixou com raiva e foi por esse motivo que brigamos, eu sabia que ela estava com ciúmes da Cathy comigo assim como eu fiquei com ciúmes dela. Depois que ela saiu senti um aperto no meu coração, peguei um casaco e coloquei logo depois saindo e indo até a recepção perguntar por ela. Desci pelas escadas mesmo e assim que avistei a Cathy chamei por ela que logo veio.
Eu: Você viu a (SeuNome)? – perguntei ofegante pela correria.
Cathy: Ela passou aqui e parecia irritada, foi ignorante comigo e tudo – falou ela cerrando os lábios.
Eu: Viu para onde ela foi? – perguntei ainda mais preocupado.
Cathy: Eu não faço idéia – respondeu ela e eu respirei fundo – O que aconteceu dessa vez?
Eu: Brigamos feio por causa daquele cara que ela saiu hoje mais cedo – respondi abaixando a cabeça – Eu sou muito burro.
Cathy: Calma Justin – falou ela tentando me acalmar – Oh Math vem aqui, por favor?
            Ela estava chamando o cara que saiu com a (SeuNome) para que?!
Math: O que foi Cathy? – perguntou ele encostando do meu lado – Você que é o Justin certo? – perguntou ele e eu apenas assenti – A (SeuNome) fala muito de você, tem muita sorte ela é linda e uma ótima pessoa – falou ele e um sorriso apareceu em meu rosto.
Justin: Brigamos feio cara e ela sumiu – falei tenso e respirei fundo novamente.
Math: Eu acho que sei onde ela está – falou ele sorrindo e eu sorri junto com ele.
            Eu pensando que ele queria apenas roubá-la de mim e ele me ajudando a encontrá-la. Ele me explicou direitinho como eu fazia para chegar onde ela estava e depois eu saí rapidamente indo ao encontro dela, assim que eu cheguei até o parque a avistei sentada em baixo de uma árvore com a cabeça encostada em seus joelhos encolhida. Fui andando até ela pensando no que dizer e me convencendo a não arrumar mais problemas, fui chegando cada vez mais perto e minha coragem ia acabando a cada passo mais eu me mantive forte eu precisava resolver isso de uma vez.
(JustinOFF)

            Eu estava ali ainda pensando se voltava ou não para o hotel, senti alguém chegar perto de mim e quando ergui minha cabeça me encontrei com o Justin me olhando.
Eu: O que está fazendo aqui? – perguntei me levantando e me afastando.
Justin: Sem brigas (SeuNome), por favor – falou ele chegando mais perto de mim novamente – Eu vim me desculpar, por tudo. Tudo o que eu já fiz de errado, eu sei que eu só faço coisas erradas e que quanto mais eu tento me desculpar mais eu erro – falou ele chegando mais perto de mim e olhando nos meus olhos – Me desculpa por não ser a sua melhor opção, desculpa por quebrar minhas promessas. Me desculpa por tudo.
            Fiquei olhando em seus olhos a verdade em cada palavra que saia de sua boca, meus olhos marejaram e eu não consegui me conter em chorar.
Eu: Sinto muito – falei me afastando e começando a andar sem rumo.
Justin: (SeuNome) por favor, você precisa entender – falou ele indo atrás de mim.
Eu: Não Justin, não se desculpe por meus erros – falei chorando cada vez mais e continuando a andar.
Justin: Eu preciso que você me escute – falou ele puxando meu braço e me virando de frente pra ele – Não é seus erros é os nossos erros, não estou me desculpando por mim e sim por nós, eu não penso sempre em mim eu penso no melhor para nós dois. Eu fui pro Canadá fiquei lá durante um mês e você ficou na minha mente durante todo esse tempo, eu tentei fazer uma coisa que é impossível para mim. Eu jamais vou te esquecer, eu sempre vou te amar, você sempre será a minha garota e não importa o quanto erramos nessa vida sempre vamos estar juntos. Eu quero que você esteja comigo para sempre, nos momentos bons e nos ruins, na alegria e na tristeza, na saudade e na doença.
Eu: Isso não é um casamento Justin – murmurei ainda chorando e ele sorriu.
Justin: Mas logo será (SeuNome) – falou ele e eu o fitei assustada – Por favor volte a ser minha namorada, deixe-me te chamar de minha e poder estar com você todos os dias da minha vida.
            Como ele podia me dizer essas coisas depois de tudo o que eu o fiz passar?! Depois de não acreditar em suas palavras e acabar com as nossas vidas. Eu não entendi por que ele ainda insistia em mim, depois de tantos erros.
Eu: Justin eu não posso – falei tentando me soltar mais ele não deixou.
Justin: Você não ama mais? – perguntou ele olhando nos meus olhos e seus olhos marejavam enquanto lágrimas caiam dos meus – É isso (SeuNome)?
Eu: Eu não acreditei em você, se estamos nessa situação à culpa é minha – falei ignorando a pergunta dele e desviando meu olhar do seu – Você não pode fazer isso.
Justin: Nós dois erramos – falou ele puxando meu rosto para que eu olhasse nos olhos dele – Vamos nos concertar juntos, você só precisa dizer que sim.
Eu: Justin – murmurei abaixando minha cabeça.
            Ele ergueu minha cabeça e olhou nos meus olhos, logo seu rosto foi ficando cada vez mais próximo do meu e sua respiração batia como uma leve brisa sobre meu rosto me trazendo uma paz interior. Ficávamos olhando fundo um nos olhos do outro e cada vez mais os lábios do Justin estavam próximos dos meus, senti seus lábios tocarem aos meus levemente e por impulso eu sei lá por que eu fiz aquilo mais eu o empurrei.
Eu: Me desculpe – falei e saí correndo deixando ele parado sozinho e confuso.
            Corri até o hotel e assim que cheguei lá fui subindo direto para o quarto disfarçadamente para que ninguém me visse, assim que cheguei peguei umas roupas e fui para o banheiro. Tomei um banho enquanto chorava por ser tão estúpida a ponto de não arrumar isso tudo de uma vez, eu só precisava beijá-lo e acabar com toda a dor. Fiquei de baixo do chuveiro durante muito tempo e depois saí me trocando e me deitando para assistir TV.
            Fiquei trocando de canal até que cheguei ao de desenhos e estava passando Bob Esponja, parei para assistir e até que me divertir com as palhaçadas do Bob com o Patrick.

Continua...
------------------------------------------------------------------------------------------
POSTADOOO meus anjooos *--------------------* 

Vou deixar um beijo para a folgada da @LuianeKristine porque ela me obrigou u_u Mentira amor, vou deixar esse beijo porque eu te gosto pra caralho minha cantora g.g (L) 

Beijos para as outras leitoras também :D Eu amo muito vocês minhas sonhadoras *--* Obrigada pelos lindo comentários e pelo apoio! Amo vocês (L)

Até a próxima postagem :D 

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Dreams - Part. 51

Postado por @slaysdrauhl às 18:13
Reações: 
12 comentários
Justin: Boa noite – sussurrou ele me puxando e me deitando em seu peito.
Respirei fundo, não seria assim tão difícil dormir tão perto dele. Sua pele em contato com a minha me causando arrepios, fiquei ali escutando seus batimentos e sentindo-o respirando fundo enquanto me envolvia com seus braços em uma forma de me proteger.

            Acordei no outro dia bem cedo e ainda estava chovendo forte, o Justin não estava mais na cama. Fiquei deitada durante um tempo e logo depois levantei indo direto pro banheiro, tomei um banho e depois que terminei de me arrumar desci para tomar café. Ainda eram 08:00 horas da manhã e eu já estava morrendo de fome, peguei meu celular e ele ainda estava fora de área. Assim que cheguei ao restaurante do hotel me deparei com uma cena ridícula, o Justin estava em uma das mesas do canto na companhia da Cathy tomando café da manhã e sorrindo como se fossem íntimos há muito tempo. Apenas olhei de longe e depois entrei indo direto até a mesa mais longe dele e me sentando, logo o garçom veio me atender e eu pedi um café bem forte. O pesadelo ainda estava perturbando minha mente, era tão real e assustador, o garçom entregou meu café e depois eu fiquei pensando enquanto esperava ele esfriar um pouco. Estava muito frio e eu estava usando um moletom, coloquei as mangas sobre minhas mãos e peguei a xícara quente. Tomava café enquanto pensava olhando para o cardápio, olhei para o Justin por impulso e ele me olhava atentamente. Ele sorriu e eu apenas retribui e depois voltei a fitar o cardápio, assim que terminei de tomar café me levantei para dar uma volta já que a chuva havia passado um pouco. Distraída saindo do hotel esbarrei em alguém.
Eu: Desculpa – sussurrei e passei a mão em meus cabelos jogando-o pra trás.
            O cara apenas me olhou e sorriu.
XX: Sem problema – falou ele sorrindo.
            O sorriso dele era contagiante logo eu estava sorrindo junto com ele.
XX: Eu sou Math – falou ele estendendo sua mão para que o cumprimentasse.
Eu: (SeuNome), é um prazer conhecer você Math – falei sorrindo e pegando de leve a mão dele.
Math: O prazer é todo meu (SeuNome) – falou ele sorrindo – Depois dessa esbarrada o mínimo que posso fazer é te pagar um chocolate quente.
Eu: Não precisa – falei sorrindo.
Math: Mas eu faço questão – falou ele abrindo a porta para que eu saísse – Conheço um restaurante que faz o melhor chocolate quente dessa pequena cidade, podemos comprar e depois dar uma volta em um dos lugares que eu mais gosto de ir. Aposto que você vai adorar.
            Ele era gentil e bonito, já que o Justin estava ocupado demais para andar por aí comigo porque não aceitar o convite do Math?! Sorri e depois saí e ele logo veio ao meu lado me acompanhando, conversamos sobre nossas vidas e sobre os apertos que já passamos. Contei sobre meu problema com o Justin e ele me deu umas dicas, disse que entendia por estar passando pela mesma situação com sua namorada Katherine. Chegamos até o restaurante e encomendamos nossos chocolates quentes, eu quis rachar a conta, mas o Math não aceitou. Fomos caminhando até uma praça ali perto, era extremamente linda e cheia de vida. O céu estava escuro e ainda caíam algumas gotas de chuva, começamos a andar tomando o chocolate quente que me deixou com menos frio e era realmente maravilhoso o melhor que eu já tomei.
Math: Eu sempre venho aqui quando preciso pensar – falou ele me olhando e depois tomando seu chocolate.
Eu: É um belo lugar para se pensar em tudo – falei sorrindo enquanto olhava o lugar boquiaberta.
Math: Há quanto tempo você e o Justin estão separados? – perguntou ele me olhando e parecia apreensivo.
Eu: Há um mês – falei e senti uma perto no peito.
Math: Eu sinto muito – falou ele abaixando a cabeça.
Eu: E você e a Katherine? – perguntei e fui até o lixo jogar o copo já que meu chocolate já havia acabado.
Math: Já faz 3 meses – falou ele jogando seu copo também – Ela foi para França, ganhou uma bolsa de estudo.
Eu: Nossa, eu sinto muito – falei e ele sorriu.
            Ficamos caminhando e conversando mais um pouco e quando a chuva começou a ficar um pouco mais forte voltamos para o hotel que não era tão longe.
Eu: Obrigado pelo passeio e pelo chocolate quente – falei parando na frente dele e sorrindo – Eu adorei.
Math: Obrigada pela companhia maravilhosa e pela conversa – falou ele sorrindo – Espero caminhar com você mais vezes.
Eu: Quem sabe – falei sorrindo.
            Nos despedimos e logo depois eu entrei no hotel indo em direção ao elevador.
Cathy: (SeuNome) – gritou ela vindo em minha direção.
            Fiquei esperando-a e enquanto isso procurava o Justin pelo restaurante.
Eu: Oi – falei assim que ela chegou perto de mim.
Cathy: O Justin está te procurando feito um loco – falou ela – Agora ele subiu para tomar um banho.
Eu: Ah obrigada por me avisar – falei sorrindo e ela sorriu de volta.
            Ela logo foi correndo e chamando outra pessoa, era doidinha. Fui até o elevador e subi até o 4º andar. Assim que cheguei à porta do quarto escutei o barulho da televisão, fiquei pensando se entrava ou não. “Vamos lá entra logo” pensava enquanto tomava coragem de ouvir os sermões do Justin. Abri a porta lentamente e entrei logo seus olhos vieram até a mim e eu apenas sorri forçada. Ele voltou a fitar a TV e eu fui andando calmamente até a cama, me sentei e tirei meu casaco.
Justin: Onde você estava? – perguntou ele sem me olhar.
Eu: Fui dar uma volta – respondi me levantando e indo até o banheiro.
Justin: Quem era o cara? – perguntou ele.
Eu: O Math – respondi e saí do banheiro.
Justin: Ele esbarrou em você, vocês trocaram algumas palavras e logo vocês foram dar uma volta juntos – falou ele e sorriu sarcástico.
Eu: Você falou com a Cathy para alugar o quarto, trocaram poucas palavras e hoje vocês já tomaram café juntos de uma maneira que pareciam íntimos há muito tempo – falei e ele me encarou.
Justin: É totalmente diferente – falou ele já ficando alterado.
Eu: Diferente por quê? – perguntei aumentando o tom de voz – Ah porque você é homem e pode tudo.
Justin: Eu não disse isso, eu quis dizer... – falou ele se levantando e eu o interrompi.
Eu: DANE-SE O QUE VOCÊ QUER DIZER – gritei – Você não manda em mim.
Justin: É EU NÃO MANDO EM VOCÊ – berrou ele vindo em minha direção – Então pode andar com desconhecidos e depois não diga que eu não te avisei.
Eu: Vai encher a paciência da Cathy – falei e ele ficou ainda mais irritado - E cuidar da sua vida.
Justin: Eu vou mesmo – retrucou ele invocado - E cuide você da sua também.
Eu: Okay – falei indo até a porta.
Justin: Ótimo – falou ele sem dar à mínima.
Eu: ÓTIMO – gritei e saí batendo a porta.
            Eu estava tão irritada que desci pelas escadas, passei pela recepção bufando de raiva em quantos meus olhos marejavam. Peguei o anel de compromisso que ainda estava no meu dedo e joguei no chão sem nem dar a mínima para o que aconteceria com ele.
Cathy: Encontrou o Justin? – perguntou ela.
Eu: Procure você – falei irritada e saí do hotel.
            Fui andando até aquela praça onde o Math me levou mais cedo, estava chovendo e eu já estava toda molhada e morrendo de frio. Assim que cheguei lá me sentei em baixo de uma árvore e as lágrimas teimosas começaram a cair sobre meu rosto, logo eu estava chorando tanto que soluçava. Eu não queria mais brigar, eu não queria me ferir ainda mais queria apenas acertar tudo e que as coisas voltassem a ser a mesma. Fiquei ali durante um tempo, pensando. Passavam algumas pessoas ali, poucas pessoas e me olhavam com pena. Logo parei de chorar e fiquei apenas pensando nessa vida difícil que eu ando tendo, meus sonhos virando pesadelos e a indiferença entre eu e o Justin. A chuva já havia passado e já eram 18:00 horas, eu estava cansada e com muito frio.

--------------------------------------------------------------------------------------------
POSTADOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO !

~~Respondendo~~

Dylan & Cole Sprouse FC *O* Seja bem vinda anjooo \õ/ FESTA GENTE, dreamy nova no pedaçooo LOOL Ahhh que bom que você gostou do ib amor, fico muito feliz mesmo :D Espero que volte sempre e que esteja sempre presente no meu blog colorindo ele ainda mais !

Anny Tenho que confessar, eu coloquei essa música por que eu AMO ela demais. De paixão de coração e de tudo mais *O* E obrigado pelos elogios, fico feliz que esteja gostando :D 

E é isso amores, fico por aqui com mais um capitulo quentinho do ib e espero que gostem e me encham de comentários carinhosos e inspiradores sobre a fic ;) Amo vocês, Bjustin :*

O que vocês acharam da lei S.O.P.A e P.I.P.A? 

Eu achei um absurdo -.-' Tantas coisas mais importantes para se proibir e querem acabar com a internet. AFF é muita falta de capacidade e de vergonha !

Hello listem aqui please →  http://heello.com/DelicinhasdoJB

domingo, 15 de janeiro de 2012

Dreams - Part. 50

Postado por @slaysdrauhl às 19:12
Reações: 
16 comentários
Eu: Droga – sussurrei me lembrando que havia esquecido meu pijama dentro do banheiro.
Fui até a bolsa e peguei uma calcinha, depois sentei na cama e fiquei esperando o Justin sair do banheiro.

 Depois de um longo tempo ele saiu com a toalha enrolada apenas da sua cintura para baixo, olhei para ele fixamente e meus olhos não se desviavam do seu abdômen bem contornado. A água escorria dos seus cabelos e havia gostas se desfazendo por seu tanquinho escorregando e parando na região onde a toalha estava. Meus olhos percorreram pelo corpo dele inteiro acariciando-o sem pudor algum, aquele corpo perfeito. Ele andou pelo quarto e meus olhos seguiam cada passo seu, balancei minha cabeça negativando meus devaneios e depois fui para o banheiro fechando a porta bem atrás de mim. Escorreguei na porta colando a mão na minha cabeça enquanto me lembrava do que acabará de fazer sem ao menos pensar nas conseqüências dos meus atos se o Justin me visse o encarando daquela maneira. Levantei depois de um tempo pensando, me vesti e depois sequei meu cabelo. Abri a porta e o quarto estava com a luz apagada enquanto o Justin estava deitado na cama assistindo um filme de terror. Ele ainda estava sem camisa e eu não conseguia me concentrar a não ser em olhar para sua barriga cheia de quadradinhos bem delineados, ele usava um bermudão e seu cabelo estava bagunçado o que só deixava ele ainda mais bonito. Fui até minha bolsa para guardar o secador e depois me deitei na cama procurando não ficar tão próxima dele.
Justin: Então quer dizer que eu era apenas um brinquedo seu? – perguntou ele sem ao menos me olhar.
Eu: Não é... – comecei e ele me interrompeu mais uma vez.
Justin: Eu gostaria que me falasse a verdade – falou ele me encarando sério.
            Ficamos nos olhando durante um tempo e eu pensava no que dizer, eu realmente não devia ter dito aquilo. E como sempre eu falo e depois fico arrependida pelo que disse.
Eu: Era brincadeira – falei sem jeito algum e desviei meu olhar olhando para TV.
Justin: Qual é a sensação de brincar com os sentimentos das pessoas? – perguntou ele voltando a olhar a TV.
            O filme era horrível, relatava sobre um estuprador de garotas que saiam para viajar nas férias e depois de aproveitar muito delas executavam-nas.
Eu: Eu não sei – respondi assistindo aquele filme mesmo estando aterrorizada.
Justin: Deveria saber já que faz isso constantemente – falou ele me olhando e depois olhando a TV mais uma vez.
Eu: Eu já disse que não quero falar sobre isso – falei olhando séria pra ele que me encarou – Foi você quem quebrou as promessas aqui, então me diz você como é a sensação de brincar com os sentimentos dos outros.
Justin: Você sabe a verdade – falou ele começando a ficar alterado – Sabe que foi armação.
Eu: Foi pro Canadá esquecer, então apenas esqueça – falei me levantando e batendo os pés.
Justin: Eu não quero esquecer – falou ele se levantando também.
Eu: Então procure alguém que queira falar sobre isso com você – sibilei.
            O Justin não falou mais nada apenas foi até o sofá bufando e tirou as bolsas de lá, logo em seguida pegando um travesseiro e um lençol e se deitando. Desliguei a televisão e o quarto ficou escuro me deitei e fiquei pensando enquanto eu me acalmava, lágrimas escorriam pelos cantos dos meus olhos e eu fazia de tudo para que ele não me ouvisse chorar. Depois de um tempo acabei dormindo.
            “– Acordei de madrugada e o quando acendi a luz o Justin estava sentado no sofá com um olhar estranho.
Eu: Que susto menino – falei me levantando e indo até o banheiro.
            Assim que eu saí do banheiro o Justin me puxou me jogando na cama, ele estava estranho nem parecia mais o mesmo. Comecei a me debater e logo ele começou a tirar meu short e depois minha calcinha, ele tentava beijar minha boca e eu gritava e me debatia em seus braços. Ele tapou minha boca e logo foi se livrando de suas roupas também, uma de suas mãos tapava minha boca enquanto a outra abria minhas pernas. Minhas mãos estavam presas nas minhas costas e o peso do Justin encima de mim não me deixava livre para tirá-las de lá. Logo senti seu membro rígido tocar minha intimidade e um gemido fraco ressaltar de minha boca, o empurrei ainda mais forte e ele se quer saía de cima de mim.
Eu: Justin, por favor, para – falei assim que ele deu uma brecha na minha boca.
            Ele não falava nada, logo ele começou a fazer movimentos fortes impulsionando seu membro em minha vagina rompendo meu hímen de uma forma bruta, senti uma dor percorrer minhas regiões. Como no filme em que estava-mos assistindo antes da nossa briga ele estava me estuprando, depois de terminar e me deixar chorando ele pegou uma arma em sua bolsa e apontou pra mim.
Eu: Justin, por favor, não faça isso – eu falava em meio a soluços.
Ele apenas me olhava e era como se ele fosse aquele cara do filme, logo seu dedo foi até o gatilho e o barulho ecoou no quarto.”
Eu: NÃOOO – gritei acordando e com a respiração descompassada.
            Eu estava suada e assustada, não conseguia me esquecer do maldito pesadelo. Uma luz apareceu em meu rosto me assustando ainda mais, era o Justin saindo do banheiro.
Justin: O que foi (SeuNome)? – perguntou ele assustado sentando do meu lado.
            Eu olhei para ele assustada e minha respiração ainda estava descompassada, olhei nos olhos dele e estavam normais logo fui me acalmando enquanto olhava aqueles olhos tom caramelo que eu tanto amo.
Justin: Pesadelo de novo? – perguntou ele chegando mais perto.
            Eu apenas assenti, ainda estava tentando me acalmar.
Justin: Esta tudo bem – falou ele pegando na minha mão.
            Olhei para as nossas mãos e logo depois voltei a olhá-lo e sorri.
Eu: Me desculpe – sussurrei abaixando a cabeça.
Justin: Tudo bem – falou ele passando os dedos sobre os meus.
            Ficamos nos olhando durante mais um tempo e depois ele levantou indo até o sofá pegar o travesseiro e o lençol.
Justin: Posso dormir com você? – perguntou ele com uma carinha meiga.
            Assenti sorrindo e dei espaço para que ele deitasse me senti mais calma agora que estava acordada, mas ainda me restava um certo medo.
Eu: Boa noite – falei apagando a luz do abajur.
Justin: Boa noite – sussurrou ele me puxando e me deitando em seu peito.
            Respirei fundo, não seria assim tão difícil dormir tão perto dele. Sua pele em contato com a minha me causando arrepios, fiquei ali escutando seus batimentos e sentindo-o respirando fundo enquanto me envolvia com seus braços em uma forma de me proteger.

----------------------------------------------------------------------------------------------
Ahhhh desculpaa a demora amores, mas agora minha net esta de volta e eu prometo recompensar esse tempo todo de tortura (yn)

~~respondendo alguns comentários do cap. 49~~

@juuh_belieber Awwww seja super bem vinda \õ/ Que bom que gostou da fic fico mt feliz que tenha gostado mt mesmo :D Aww eu to seguindo o seu blog já e sua fic esta mt boa!



Espero que gostem amores e que me encham de comentários lindos como sempre (: Até a próxima postagem, bjustin :*

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Aviso chato!

Postado por @slaysdrauhl às 14:21
Reações: 
5 comentários
Minhas amorecas me desculpem mais uma vez pela demora para postar a fic, mas é que deu uma chuva de loco aqui onde eu moro e o telefone ficou mudo e como a net é da telefônica parou junto :/ Vou demorar um pouco para voltar porque os engraçadinhos estão enrolando para virem arrumar e eu não faço ideia de quando eles viram -.-' Espero que entendam e me aguardem porque eu vou voltar com tudo (yn)  ;D

                                                        Amo muito vocês <3 
 

* Only Imagine Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos