segunda-feira, 23 de abril de 2012

Dreams - Part. 75

Postado por @slaysdrauhl às 20:21
Reações: 
24 comentários
Liguei para um amigo meu mecanico para que ele viesse trocar o pneu do meu carro e ele não demorou para chegar e muito menos para trocar, depois subi para o meu quarto e tirei a roupa colocando apenas uma bermuda e me jogando na cama. Eu ainda estava um pouco exausto, não demorou muito e eu adormeci.
(Justin OFF)

            Fiquei um pouco lá fora pensando enquanto olhava pro nada, depois entrei em casa me deparando com a minha mãe e meu pai sentados no sofá conversando, sorri de lado era bom vê-los bem e sem brigas como eu sempre costumava ver.
Pai: E então querida – falou ele batendo no lugar vago no sofá ao seu lado para que eu me sentasse – O que está achando daqui?
Eu: É bom pai – respondi me sentando ao lado dele.
Pai: Como conheceu o Justin? – perguntou ele pegando minha mãe e brincando com meus dedos.
Eu: Na escola mesmo – respondi sem demora e ele sorriu de lado.
Pai: Depois do Chris não achei que teria outro namorado – comentou ele olhando sua mão brincando com meus dedos.
Eu: Eu pensava a mesma coisa até conhecer o Justin – falei sorrindo e ele sorriu pelo nariz.
Pai: Olha filha eu achei o Justin um cara legal, ele realmente aparenta gostar muito de você, mas você precisa saber se tudo o que ele quer pro futuro de vocês é o que você quer também – falou ele olhando em meus olhos – Não adianta um querer o limite enquanto o outro esta preso em outro lugar ou se o outro não tem os mesmo objetivos, vocês precisam ver se os objetivos de vocês são os mesmos ou se estão em sitonia mesmo que não seja exatamente iguais, você não pode fazer uma coisa só porque ele quer, você tem que querer também.
Eu: Mas eu quero pai – murmurei olhando o bem nos olhos.
Pai: Tem certeza? –  insistiu ele.
Eu: Nunca tive tanta certeza em toda a minha vida – respondi e minha mãe sorriu de lado.
Pai: Se é assim então, espero que tudo de certo para vocês – falou ele me abraçando forte.
Eu: Obrigado pai – murmurei enquanto me aconchegava mais nos braços dele.
            Após um tempo começamos a conversar e ele começou a contar como estavam as coisas pelo Brasil e como estavam os nossos familiares de lá, recebi alguns presentes das minhas tias e primas e alguns recados e cartas também. Não fiquei muito tempo ali com eles pois acordaria cedo no outro dia para ir para escola, subi tomei um banho e coloquei meu pijama logo em seguida indo para cama e não demorei muito para dormir já que o dia havia sido cansativo.
(...)
            Na escola foi a mesma coisa de sempre, mesma chatice de sempre e como sempre eu tive que aturar olhar para a cara da Selena durante todas as aulas do dia, eu apenas ignorava-a friamente enquanto ela vinha com suas provocações. Será que eu teria que matar ela para ela parar de me provocar?! Pensando bem não é nada bom pensar nisso, eu não ganharia nada sujando minhas mãos com ela. Depois de sair fiquei um tempo com o Justin e depois fui para a quadra da escola para o treino das lideres e ele foi pro ginásio, assim que saímos do treino eu fui direto para casa com a Jullie e os meninos continuaram treinando. Quando cheguei em casa subi, tomei um banho e me vesti descendo para o almoço.
Pai: Como foi a escola hoje? – perguntou ele depositando um beijo em minha testa.
Eu: Legal – respondi me sentando ao seu lado.
Pai: Sua mãe me disse que você é a capitã do grupo de lideres de torcida – comentou ele e eu sorri de lado.
Eu: Estranho, não? – perguntei e ele sorriu.
Pai: Pensei que odiasse chamar atenção – murmurou ele e eu revirei os olhos.
Eu: Continuo odiando, mas fazer o que né – falei sorrindo.
            Almoçamos em silencio e depois eu e meu pai lavamos os pratos juntos, minha mãe teve que voltar para o trabalho e eu iria procurar alguma coisa de interessante para fazer que incluisse meu pai.
Pai: Que tal me mostrar um pouco da cidade? – perguntou ele sorrindo.
Eu: Ah bem legal – comentei sorrindo.
Pai: Pode chamar o Justin para nos acompanhar – falou ele e eu sorri revirando meus olhos, sabia que havia algum interesse.
            Meu  pai estava meio que nos testando, ele não estava errado, mas também não estava certo de duvidar da minha certeza de que é com o Justin que eu quero construir todos os planos da minha vida. Como pedido dele eu liguei para o Jay e perguntei se ele poderia nos acompanhar e ainda inventei que era melhor já que ele conhece melhor a cidade e ele aceitou, sairia do treino passaria na casa dele para tomar um banho e depois viria direto para cá. Ficaríamos esperando por ele...

(JustinON)
            Assim que o treino acabou eu descidi que tomaria banho ali no vestiario mesmo, o Adam ficaria me esperando já que eu daria uma carona para ele até sua casa e eu fui até a ducha tirar aquele suor todo. Depois de terminar de tomar banho e sair vestindo uma bermuda e indo até a bolsa procurar uma camisa eu ouvi a porta abrindo e pensei que fosse um dos meninos.
Eu: Desculpa a demora bro é que... – começei mais parei quando percebi que estava ali – Está fazendo o que aqui? – perguntei friamente me afastando.
Selena: Isso não é jeito de tratar as damas Justin – falou ela sinicamente se aproximando enquanto eu me afastava.
Eu: Acho que não estou lhe dando com uma dama – comentei e ela bufou irritada virando-se de costas e depois voltando a me olhar – Vejo que deu um jeitinho de ir naquela festinha ridicula da sua “namoradinha”.
Eu: Ridicula é você Selena, será que você não se toca que eu não quero mais nada com você!? – falei e ela bateu o pé no chão arqueando sua sobrancelha.
Selena: Justin, Justin – murmurou ela chegando perto – Será que você não se toca que você é meu!? – falou ela deslisando sua mão pelo meu abdomem e eu apenas me afastei fitando-a assustado.
Eu: Está fazendo o que? – perguntei assustado quando vi ela desabotoando sua blusa.
Selena: Vou te mostrar que a sua “namoradinha” não te satisfaz como eu – comentou ela sorrindo e vindo em minha direção.
Eu: Me deixa em paz Selena – falei pegando minha bolsa e depois empurrando-a com ignorancia e saindo do vestiário sem camisa mesmo.
            Quando cheguei lá fora fui direto para o carro e o Adam veio logo em seguida.
Adam: Aconteceu alguma coisa dude? – perguntou ele me olhando assustado.
Eu: Te conto no caminho – falei iniciando a partida.
            Contei para ele o acontecido e ele começou a dizer que a Selena precisava de ajuda que ela estava cada vez mais maluca e eu concordei com tudo o que ele disse, assim que chegamos perto da casa da (SeuNome) eu estacionei e ficamos dentro do carro durante um tempo.
Eu: Dude você acha que eu devia contar para (SeuNome)? – perguntei preocupado enquanto olhava para a casa dela.
Adam: Sabe bro eu acho que sim, até porque você sabe como a Selena é, então melhor a (SeuNome) saber por você do que por ela – respondeu ele sem demora e sua resposta me botou para pensar.
            Nos despedimos e ele foi para a casa dele, eu segui até a casa da (SeuNome) vestindo uma camisa de gola V, bati na porta e ela não demorou para ser aberta. Era o pai dela e eu sorri amarelo e entrei quando ele me convidou.
(NomeDoSeuPai): A (SeuNome) já vem – falou ele me deixando na sala e indo para cozinha.
(SeuNome): Pai o senhor viu meu celular? – perguntou ela descendo as escadas e indo para a cozinha, eu estava tão imovel que ela nem notou minha presença.
(NomeDoSeuPai): Na sala – respondeu ele e logo ela correu até a sala se deparando comigo e sorrindo timida.
(SeuNome): Faz tempo que está aí? – perguntou ela selando meus lábios e depois indo pegar seu celular em cima da estante.
 Eu: Acabei de chegar – respondi sorrindo.
(SeuNome): Ah sim – murmurou ela passando sua mão no cabelo jogando o para o lado – Podemos ir? – perguntou ela sorrindo.
Eu: Claro – respondi após um tempo reparando em sua beleza e em seus olhos misteriosos.
(SeuNome): Vamos pai – chamou ela indo até a cozinha e eu fiquei esperando eles na porta.   
            Saímos e eu iniciei a partida levando ele para conhecer os lugar mais lindos de L.A depois levei-os para comer na Subway e dar uma volta no parque do centro da cidade. Tudo era novidade para o pai dela ele disse que só havia visto por fotos e que pessoalmente era bem melhor, a tarde passou bem rapido e nos divertimos bastante contando coisas sobre nossas vidas. Após um certo tempo eu fiquei mais tranquilo e deixei fluir quem eu sou do jeito que a (SeuNome) me disse para fazer, contei minhas piadas sem graça e fiz brincaderias e o pai dela e ela estavam se divertindo e era apenas isso que me importava. Voltamos para casa dela e ficamos assistindo um filme enquanto a mãe dela preparava o jantar cujo o pai dela e a mãe dela fez questão que eu estivesse presente. Fiquei brincando com os cabelos da (SeuNome) enquanto ela estava deitanda no meu colo assistindo concentrada a um filme de terror chamado Doce Vingança, seus olhos se quer se mexiam enquanto ela na maioria das vezes fechava-os.
 (JustinOFF)

            O filme era cheio de cenas brutas e sanguinarias, não pude assistir tudo e antes que ele acabasse minha mãe nos chamou para jantar e eu desliguei a tv, nos sentamos e eu servi o prato do Jay e depois o meu. Comemos e conversamos sobre algumas coisas depois ficamos na mesa falando sobre universidades eu não sabia ao certo o que eu queria exercer e o Justin também estava na duvida. Meu pai deu algumas dicas para o Justin e para mim também, mas teriamos que decidir isso depois com mais calma, ainda tinhamos 2 anos para fazer isso. Foi ficando tarde e o Justin  precisava ir para casa, meu pai ficaria com nosco apenas uma semana já que teria que voltar por conta do seu emprego, mas disse que se minha mãe permitisse ele voltaria nas férias do fim de ano. Levei o Justin até o carro dele e ficamos namorado um pouco depois tive que entrar e ele seguiu partida até a casa dele. Ainda estava cedo então eu apenas fui assistir tv enquanto comia salgadinho e tomava refrigerante, meu pai e minha mãe já haviam ido cada um para seu devido quarto e quando meu sono foi chegando eu fiz o mesmo.
(...)
            Os dias não mudavam, todo dia era a mesma coisa e a única coisa mais interessante e que descontraia tudo era passar um tempo com o Justin o que estava sendo meio dificil já que eu precisava dar atenção para o meu pai, dar atenção para o grupo de lideres e me dividir em várias tentando apenas ficar mais tempo com o meu namorado. Ele me contou sobre as provocações da Gomez, sobre quando ela rasgou o pneu do carro dele para que ele não fosse na festa de boas-vindas do meu pai e de quando ela entrou no vestiário dando em cima dele. Fiquei chateado um pouco, mas não poderia culpa-lo e nem perdi meu tempo arrumando briga com a Selena, minha mãe disse para que eu apenas ignora-se que dessa maneira ela logo me deixaria em paz. Meu pai e minha mãe estavam se dando super bem e até saíam juntos, brigas eram destintas na nossa casa e eu pudia até ver nos olhos deles que estavam felizes juntos. Eu estava mais tranquila e a Jullie voltou a ser minha camarada de todas as horas, sempre andavamos juntas o que era bom para nossa amizade.
Justin: (SeuNome) – chamou ele acenando e sorrindo.
Eu: Não vai pro treino? – perguntei quando cheguei perto dele.
Justin: Não, quase não nos vemos então hoje vou reservar esse dia para nós dois – falou ele sorrindo malicioso e selando seus lábios aos meus.
 Eu: Justin nem começa com teus assanhamentos – comentei empurrando-o e ele sorriu de lado.
Justin: Castigo é? – sussurrou ele no meu ouvido.
Eu: Não pensa em outra coisa não é? – perguntei me afastando dele.
Justin: Ah eu até tento, mas a carne é fraca – comentou ele e eu senti minhas bochechas corarem – Brincadeira amor, brincadeira – falou ele entre sorrisos me abraçando.
Eu: Ai meu Deus eu namoro um pervertido – comentei e ele gargalhou.
Justin: Com uma namorada dessa tem como não ser? – perguntou ele com um sorriso ousado e eu senti minhas bochechas corarem de novo e ele mais uma vez gargalhou.
Eu: Chega né!? – sussurrei tampando meu rosto com as mãos.
Justin: Vem cá bebê – falou ele sorrindo e me abraçando forte.
            Me aconcheguei em seus braços e senti o mundo se afastar enquanto eu apenas me concentrava nas batidas fortes do seu coração e no seu cheiro levemente amadeirado e viciante, sentia falta daquilo. De ser apenas eu mesma abraçando o meu Jay e esquecendo tudo em volta, fazia um tempo que não tinhamos tempo apenas para nós dois para fazermos as loucuras de sempre, nos divertimos como sempre sem precisar se preocupar em agradar ninguém, apenas em fazer um ao outro sorrir.
Seu sorriso era tão espontaneo e contagiante que sempre que ele sorria mesmo se eu estivesse magoada com alguma coisa acabava sorrindo também, ele me fazia tão bem que eu conseguia sentir que não precisaria de mais nada se tivesse sempre ele ao meu lado. Nos soltamos e ele sorriu tocando meu rosto com as pontas do seu dedo e com as costas de suas mãos enquanto olhava fundo em meus olhos, seus olhos os mais perfeitos que eu já vi, seu tom caramelo com uma profundidade tão subita que me deixava perdida enquanto apenas via o quanto ele era maravilhoso por dentro e por fora.
Quando voltei ao normal já estava andando até o carro dele de mãos dadas e algumas pessoas como sempre ficavam nos olhando, avisei para Jullie que iria sair com o Justin e mandei uma mensagem avisando para minha mãe que me respondeu “Se cuida, qualquer coisa se previne”  arqueei minha sobrancelha e bufei de reprovação para o que ela disse, por que todos estavam saidinhos hoje!?
Eu: Está me levando para onde? – perguntei e ele sorriu de lado iniciando a partida.
Justin: Comprei uns filmes legais – falou ele e eu olhei para ele depois acabei sorrindo.
            Ele estava me levando para a sua casa, chegamos lá e quando entramos na casa dele como sempre tudo estava em seu devido lugar.
Eu: Você que limpa sua casa? – perguntei enquanto olhava ao redor e ele sorriu.
Justin: Uma amiga da minha mãe limpa pra mim, mas ela vem uma vez na semana então o resto do tempo eu que preciso manter – respondeu ele deixando a chave do carro em cima da mesa como sempre e indo para cozinha – Quer beber alguma coisa? – gritou ele enquanto fuçava a geladeira.
Eu: Pode ser um suco – respondi e ele me olhou confuso – Não tem suco? – perguntei erguendo uma sobrancelha.
Justin: Tem sim – respondeu ele sorrindo e pegando uma jarra de suco da geladeira.
            Fomos assistir os tais filmes que ele havia alugado, comédia romantico. Bem legal ver ele imitando as cenas como sempre, porque ele assistia o filme se já sabia quases todas as falas!? Meu Jay não era nada normal, ele dizia ser normal, mas ele tinhas suas paranormalidades. Ficamos assistindo a tarde toda, quer dizer eu tentei assistir os filmes, mas como sempre o Justin passava a maior parte do tempo me desconcentrando com beijinhos e eu não me contentava com pouco ainda mais vindo dos lábios viciantes dele. Não percebi quando eu dormi, mas logo tudo estava apagado, talvez tanto tempo de correria na vida me dividindo para poder dar atenção para todos eu tenha me sobrecarregado e precisa-se descansar um pouco.
---------------------------------------------------------------------------------------------
Prontinho amores, 2beijos :* 

Sejam bem vindas...

vitoria Seja bem vinda minha linda :) Desculpa não ter dado as boas vindas no capitulo anterior mais é que eu estava com pressa sabe :/ Mas mesmo assim você está sendo super bem vinda aqui e espero que fique conosco sempre colorindo o blog, fico feliz que esteja gostando hein :)  SonhadoraNova ~le pulando feito doida e batendo o dedinho na quina #bubu uahsuahsuhaush' -qn 2bjs :* xoxo' 

Clarinha(@Swaggeira) Aiin amor seja Super bem vinda viu minha linda *--*' Desculpa não ter dado boas vindas antes, mas é que eu tava nas pressas aqui :x Mas e então fico feliz que esteja gostando e espero que continue aqui sempre colorindo tudo :) 2bjs :* xoxo' SonhadoraNova \õ/ 

Amanhã vou responder os comentários do capítulo 73 e 74 porque eu esqueci :x E hoje não vai dar tempo :'( (ps: mãe muito chata mandando sair a todo o momento :@) 1654515641654156bjs pra vocês minhas sonhadoras lindas :* Espero que gostem e comentem muito \õ/ xoxo' 

15 comentários...

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Dreams - Part. 74

Postado por @slaysdrauhl às 19:07
Reações: 
34 comentários
O Justin me levou até em casa e ficou um pouco comigo e depois foi para o treino, organizei os ultimos preparativos e depois fiquei apenas esperando minha mãe chegar para organizarmos o resto.

            Quando minha mãe chegou ela organizou tudo sobre a parte da comida e algumas das vizinhas estavam nos ajudando com tudo e graças a Deus tudo estava dando certo, meu pai amaria tudo aquilo. Enquanto elas preparavam o resto das coisas eu fui pela vizinhança entregando os convites para os vizinhos conhecidos da minha mãe.
Den: (SeuNome) – falou ele surpreso após abrir a porta.
Eu: É que vamos fazer uma festinha pro meu pai e vim trazer o conivete – falei entregando o último convite à ser entregue em sua mão.
Den: Ah obrigado – falou ele sorrindo de lado.
Eu: De nada, tchau – falei sorrindo e depois fui andando até em casa devagar enquanto respirava aquele ar puro e desfrutava do silencio.
            Entrei em casa e senti meu celular vibrar em meu bolso peguei-o e vi que o número era do Justin.
(LigaçãoON)

Eu: Jay – falei respirando fundo enquanto andava até a sala.
Justin: Como anda as coisas por aí bebê? – perguntou ele após um tempo.
Eu: Tudo certo – falei enquanto enrolava minha blusa no dedo.
Justin: O treino já acabou vou em casa tomar um banho e depois vou aí pra irmos buscar seu pai –
Eu: Ah não vou precisar, minha mãe vai buscar ele... – falei sorrindo pelo nariz e ele respirou fundo.
Justin: Ah sem problema então –
Eu: Descansa um pouco Jay, vai começar às 20:00 – falei me andando lentamente até a cozinha.
Justin: Esta bem bebê, te vejo mais tarde –
Eu: Até mais tarde, amo você –
Justin: Eu te amo mais – falou ele suavemente e eu sorri boba.

(LigaçãoOFF)

            Deixei o celular na bancada perto da mesa e entrei na cozinha me deparando com a minha mãe e as vizinhas conversando.
Mãe: Disse para ele que eu iria buscar seu pai? – perguntou minha mãe me olhando.
Eu: Disse sim, ele só vai vir mais tarde mesmo – respondi abrindo a geladeira e pegando uma garrafa de refrigerante.
            Coloquei em um copo e fui para o meu quarto ver se havia algum email novo, liguei o computador e bebi o refrigerante enquanto o mesmo ligava. Abri meu email e havia apenas um novo, era da empresa que eu marquei uma entrevista para trabalhar, no email dizia que eu precisava ir até a empresa e que se eu fosse bem na entrevista entraria na mesma como aprendiz. Anotei o endereço e coloquei meu celular para lembrete da data e hora da entrevista, seria semana que vem e eu precisava me preparar. Fiquei mexendo em algumas das minhas redes sociais e a tarde passou bem rápido, quando me dei por conta já era exatamente 17:30 e eu precisava começar a separar minha roupa e me arrumar já que quero estar bem apresentavel para vinda de meu pai. Tomei um banho demorado enquanto brincava com o sabonete e cantava usando o pote de shampoo, minha felicidade era imensa e eu estava muito ansiosa. Talvez esse fosse a chance da minha familia se reunir novamente, talvez aqui meus pais consigam se enteder e quem sabe tudo voltar a ser como era antes. Fiquei imaginando alto enquanto a água caia sobre meus cabelos deslisando-os nas minhas costas e tirando o excesso de shampoo do mesmo. Saí do banheiro e vesti apenas minhas peças intimas e coloquei um roupão, peguei tudo o que eu usaria e começei a minha produção. Fiz minhas unhas e depois fiquei assitindo tv enquanto secavam, depois que secou sequei meu cabelo e fiz um penteado seguindo uns tutorias em um site, me vesti, passei uma maquiagem leve e perfume, depois calçei minha sandália terminando em fim tudo.
Eu: Mãe – chamei assim que cheguei na sala.
            A casa estava vazia a poucos minutos os convidados iam começar a chegar, fui até a cozinha e arrumei as coisas da comida. E coloquei a faixa de boas-vindas perto da escada, coloquei uma música de fundo leve e suave que deixasse as pessoas mais confortaveis. Minha mãe havia arrumado tudo corretamente do jeito que meu pai gostava, era bom ver que ela lembrava dos gostos dele ainda. A campainha tocou e eu saí dos meus devaneios e fui atender era a Jullie, o Adam, o Chris e o Den estava com eles.
Adam: Marrentinha – falou ele esticando sua mão para bagunçar meu cabelo.
Eu: Toca nele que eu mato você – falei erguendo uma sobrancelha.
Jullie: Adam para de ser chato – falou ela séria dando um leve empurrão nele.
Adam: Eita mau humor hein – falou ele empurrando ela e entrando praticamente se jogando no sofá, ele era da casa.
Den: Oi (SeuNome) – falou ele sorrindo.
Eu: Oi Deny – falei gesticulando com as mãos pra que ele entrasse.
Den: Você... Er... Está linda – falou ele e depois suas bochechas coraram.
Eu: Ah obrigado Denyel – falei sorrindo de lado.
            Os convidados foram chegando e eu se quer consegui sentar um pouco depois que eles começaram a chegar um atrás do outro, a casa já estava no limite. Todos estavam lá, quer dizer quase todos menos meu pai, minha mãe e o Justin. Fiquei olhando freneticamente para o relógio e a hora praticamente voava e nada dele, ouvi uma busina e reconheci como a do carro da minha mãe. Logo vi ela e meu pai passando pela porta e meu coração batia tão forte que eu o sentia em meus braços e em minha cabeça, respirei fundo e logo corri para abraça-lo o mais forte que eu pude descontando todo o tempo que ficamos longe um do outro. Sentir seu cheiro denovo e poder senti-lo ao meu lado era maravilhoso, era como se eu estivesse em um sonho sem fim onde as coisas apenas melhoravam  a cada segundo.
Pai: Senti saudade – sussurrou ele depositando um beijo em minha testa – Olha só para você – disse ele sorrindo e me fazendo dar uma voltinha.
Eu: Senti sua falta pai – sussurrei e abracei-o novamente.
Pai: Eu também senti muito a sua falta querida – falou ele me apertando contra seu peito – Vejo que fizeram uma festa aqui – falou ele assim que me soltou e sorriu – Muito obrigado.
Eu: Foi ideia da mamãe – falei sorrindo de lado e ela revirou os olhos.
Mãe: Se quiser subir para tomar um banho e descançar um pouco avontade, seu quarto é o ultimo do corredor – falou ela sorrindo.
Pai: Tudo bem (NomeDaSuaMãe) – falou ele sorrindo e depois me olhando e eu apenas sorri.
            Minha mãe foi tomar um banho e se arrumar e meu pai fez o mesmo, saí para ver se havia algum sinal do Justin e nada dele. Será que ele não viria?! Tentei ligar para o seu celular e nada dele atender, comecei a ficar preocupada, após um tempo voltei para a casa e fiquei conversando com meus amigos.

(JustinON)
            Eu estava cansada e quanto cheguei do treino apenas tomei um banho e depois dormi, era para ser apenas uma soneca, mas acabou se estendendo demais. Acordei e já era 19:00 o que significava que eu tinha apenas uma hora para chegar na casa da (SeuNome), praticamente pulei da cama e corri para o banheiro tomando um banho rápido. Peguei uma roupa e me vesti, depois desci fechando tudo e desligando as luzes. Tranquei a porta e quando cheguei na garagem me deparei com algo me deixou impressionado, meu carro estava com um dos pneus rasgadas e em cima dele havia um bilhete.

“Não precisa perder seu tempo naquela comemoraçãozinha idiota, vamos fazer algo melhor essa noite... Apenas eu e você!”

            Balancei a cabeça negativando aquele bilhete idiota e a letra era da Selena, apenas poderia ter sido ela como sempre... Coloquei minha mão sobre minha cabeça e olhei novamente para o relogio já era 19:50 e eu não fazia ideia de como chegar a tempo, pensei em ir andando mais demoraria demais. Fiquei andando de um lado para o outro até que me lembrei de alguém que poderia me ajudar...

(LigaçãoON)
Eu: Dude esta afim de ir em uma festa? – perguntei assim que o Ry atendeu o celular.
Ryan: Vai ter comida? – perguntou ele e eu não pude deixar de rir daquele babaca.
Eu: Vai sim é na casa da (SeuNome), boas-vindas para o pai dela – falei enquanto caminhava inquieto pela garagem.
Ryan: Ah demorou cara – falou ele e eu respirei fundo.
Eu: Então passa aqui em casa antes – falei e antes que ele respondesse eu desliguei.
            Fiquei esperando durante algum tempo e logo ele chegou.
Ryan: Da proxima vez que desligar na minha cara eu te mato – comentou ele enquanto eu entrava no carro – O aconteceu com seu carro?
Eu: A Selena rasgou o pneu para que eu não fosse para a festa na casa da (SeuNome) – respondi entregando o bilhete para ele e depois de ler ele começou a gargalhar.
Ryan: Vamos fazer algo melhor esta noite... Apenas eu e você – falou imitando a voz da Selena e eu não pude deixar de sorrir – Essa menina é maluca...
[...]
            Chegamos na frente da casa da (SeuNome) e ouvimos a música tocando, provavelmente fazia tempo que a festinha havia começado. Estacionamos do outro lado da rua e depois fomos andando até a casa e tocamos a campainha.
(SeuNome): Você me paga Adam – falou ela enquanto abria a porta – Justin...
            Ela estava maravilhosamente linda, pude sentir minha boca se abrindo e logo a fechei tentando disfarçar ao máximo.
Eu: Você está linda – comentei selenando seus lábios suavemente.
(SeuNome): Obrigado – sussurrou ela timida.
            Apenas sorri de lado e ela nos convidou para entrar, decidi não contar para ela que a Selena havia cortado o pneu do meu carro e me livrei do bilhetinho nojento dela. Não queria brigas, além do mais preciso passar uma boa impressão para o pai dela. Fomos para onde estavam o Chris, o Adam, a Jullie e o... Denyel. Ficamos conversando durante um tempo e sempre haviam umas encaradas entre mim e o Denyel, ele ficava me encarando e eu apenas retribui-a. Não demorou muito até que o pai da (SeuNome) descesse ele falou com cada um que estava ali e enquanto esperava minha vez senti minhas mãos suar e as batidas do meu coração ficarem obvias com o movimento do meu peito.
(SeuNome): Pai esse é o Justin e Justin esse é (NomeDoSeuPai), meu pai – apresentou-nos ela sorrindo de lado.
Eu: Oi senhor (NomeDoSeuPai) – comprimentei-o normalmente.
Justin: Sem essa de senhor – falou ele me surpreendendo e estendando sua mão, demos um aperto de mão e ele sorriu.
            Ficamos conversando e ele me perguntou como era a minha vida, o que eu fazia dela, qual era os meus planos e o que eu queria da filha dele. Respendi a todas as perguntas sem pensar muito ou me perder e durante o tempo todo a (SeuNome) permanceu do meu lado segurando minha mão. Depois que passou o momento de tensão começamos a conversar sobre outras coisas e ele era muito legal, completamente diferente do que eu imaginei que ele seria. A noite passou rapido e logo todos foram se despedindo e indo para suas casas restando apenas os nossos amigos, os pais da (SeuNome) e ela. Ficamos conversando durante mais tempo e depois eu e o Ryan nos despedimos, teriamos aula amanhã cedo e eu não poderia abusar do horário. A (SeuNome) nos acompanhou até o carro e o Ryan foi na frente deixando nos um pouco a sós.
Eu: Imaginei que seria pior – comentei e ela sorriu pelo nariz.
(SeuNome): Eu disse que ele era legal – falou ela me dando um leve empurrão e um sorriso satisfeito se formou em meu rosto.
Eu: Se seus pais são a favor, quem será contra nós? – perguntei abraçando-a e deixando nossos rostos bem proximos.
(SeuNome): Ninguém... – sussurrou ela e eu sorri de lado e depois selei nossos lábios.
            Era viciante tocar os lábios dela aos meus, era o meu maior vicio e eu não poderia mais viver sem. Necessidade era mais correto a dizer sobre isso, era como se fossem peças de um quebra-cabeças, que se encachavam perfeitamente e que não podem ficar um sem o outra. Encerramos o beijo por causa da maldita falta de ar e depois eu me despedi com vários selinhos e fui até o carro, o Ryan me deixou na frente da minha casa e depois foi para o novo apartamento dele. Entrei e me joguei no sofá enquanto viajava me lembrando do quão linda a (SeuNome) estava, do quão linda a minha garota era todos os dias de sua vida. Liguei para um amigo meu mecânico para que ele viesse trocar o pneu do meu carro e ele não demorou para chegar e muito menos para trocar, depois subi para o meu quarto e tirei a roupa colocando apenas uma bermuda e me jogando na cama. Eu ainda estava um exausto, não demorou muito e eu adormeci.
(JustinOFF)
--------------------------------------------------------------------------------------------
Postado amores, desculpa por não ter postado ontem já que tinha os 15 comentários, mas é que agora minha mãe colocou hora para eu sair do pc e ficou difícil sabe :x Me desculpem mesmo, sei que é maldade, mas a culpada é minha mãe malvada u_u hasuhaushuahsuha' Espero recompensar né ><' xoxo Amo vocês s2

(ps: Não vou responder os comentários hoje porque não vai dar tempo, então amanhã eu respondo e depois vocês veem lá ! *-*')

15 comentários...

sábado, 14 de abril de 2012

Dreams - Part. 73

Postado por @slaysdrauhl às 21:20
Reações: 
34 comentários
A mensagem enfim foi enviada e depois eu apenas desliguei o celular e fiquei me concentrando para dormir, assim como ele eu precisava pensar um pouco por cada pensamento em seu devido lugar. Não demorou muito e eu acabei adormecendo...

(JustinON)

            Era impressionante a minha facilidade para ser um babaca quando se tratava do Denyel correndo atrás da (SeuNome), infelizmente aquele cara era o único que me fazia perder a cabeça a ponto de falar coisas sem pensar e como sempre acabar magoando a minha namorada. Quando a Selena chegou desfarçadamente puxando assunto comigo eu sabia que ela queria alguma coisa e logo ela foi dizendo que ele levou a (SeuNome) até o treino e depois deu uma de arrependida, eu nem parei pra pensar senti meu sangue ferver só de ouvi-la pronunciar o nome dele. Assim que saí passei em casa, tomei um banho e depois fui para a casa da (SeuNome), eu queria conversar numa boa com ela, sem brigas, apenas lhe faria um pedido. Quando eu cheguei lá ela não estava, estava na casa da Jullie e não fiquei muito tempo esperando até que ela voltasse para casa. Quando a vi entrando perdi toda a coragem de se quer tocar no assunto, mas eu não conseguia desfarçar a minha tensão e logo percebi que ela reparou e ficou tensa também. Eu conseguia compreender tudo o que ela me dizia, mas mesmo assim o fato do Denyel ficar tentando “competir” pela (SeuNome) comigo me deixava muito irritado a ponto de me fazer perder a cabeça e ir na casa dele mostrar-lhe que ele não devia mais chegar perto da minha garota. Eu não consegui impedir ela de subir para o seu quarto quando ela disse que eu precisava ir pra casa e pensar um pouco, a mãe dela entrou e como sempre depois de já ter feito a burrada eu me lamentei. Ela me disse pra eu ir para casa e eu apenas fiz, respeitando o espaço da (SeuNome) e respeitando o meu também, já que eu realmente estava precisando pensar.
            Quando cheguei em casa o silencio me deixou bem mais calmo, tirei o tênis e depois me joguei no sofá pegando o controle e mudando de canal procurando por algo interessante para assistir. Passei por um canal e estava passando Bob Esponja o que me fez lembrar a (SeuNome), ela adora assistir Bob Esponja e é uma das coisas que temos em comum. Senti meus olhos arderem, agora eu estava bravo comigo mesmo e logo as lágrimas escorreram pelo meu rosto e eu as limpei imediatamente, para alguns homens era tolice chorar por garotas, mas para mim não era. Eu a amava mais que tudo nessa vida e eu não queria que ela ficasse magoada comigo, não depois de tudo. Passei a mão no meu cabelo apertando-o com força e nem aquela dor reprimia a que estava se formando em meu peito, eu não conseguia me imaginar mais sem ela. Revi meus planos para o futuro e sem ela nada teria graça, não teria o menor sentindo se fosse outra em seu lugar. Era ela, sempre foi ela e sempre vai ser ela. Idependente do momento, do dia, do mês, do ano, do século ou até nessa vida ou talvez na outra. Sempre será ela, era como se ela fosse feita especialmente para mim, eu sabia que um dia ela apareceria, eu sabia que Deus estava preparando alguém bem melhor para mim e então ele me enviou a (SeuNome). Depois de conhecê-la eu vi a vida de uma meneira diferente, senti coisas que nunca senti antes e além de tudo eu senti amor uma coisa que eu nunca pensei que sentiria tão cedo. Eu dependia dela como um viciado dependia de suas drogas, assim como um alcoolatra precisa saciar a cede de suas bebidas, eu dependia dela como um maluco, um completo bobo apaixonado por ela e que não conseguia mais ver sua vida sem tê-la do seu lado.
            Enquanto estava perdido nos meus pensamentos os sons sumiram inexplicavelmente enquanto eu pensava e pensava, me arrependendo de sempre ser um idiota e parando para ver as únicas coisas que existiam. Peguei meu celular, mas quando percebi as horas decidi que não deveria cometer nenhuma loucura ainda mais com a mãe dela presente. Mandei apenas uma mensagem dizendo que precisava vê-la e pedir desculpas e um tempo depois ela me respondeu dizendo que não seria possível, como eu previ que ela dissesse e que não estava magoada comigo ou nada do tipo. Mesmo depois de ler aquilo eu não conseguia ficar tranquilo depois do que eu havia feito, por quê eu sempre ficava inseguro mesmo sabendo que ela me escolheu e que sou eu que a tenho em meus braços? Por quê eu não consiguia deixar de ser um completo babaca empenhado a tolices a maior parte do tempo?
            Fiquei trocando os canais e me xingando em pensamento durante um longo tempo até que reparei nas horas e subi para o quarto para tentar dormir, eu precisava ouvir a voz dela, precisava tocá-la, sentir seu cheiro doce e beijar seus lábios macios e sabor morango. Eu precisava sussurrar em seu ouvido o quanto eu a amo e precisava ouvi-la dizer que também me ama, eu precisava dela mais que tudo no mundo. Me deitei e fiquei olhando pro nada enquanto me lembrava de tudo o que haviamos vivido juntos, demorou um tempo até que eu dormisse.
(JustinOFF)

            Acordei e apenas se ouvia o barulho dos passaros cantando e do vento balançando as folhas das arvores, o dia estava nublado numa cor cinza, olhei ao redor e não parecia que iria chover. Entrei no banheiro e tomei um banho demorado e preguiçoso, depois saí me vesti e desci para falar com a minha mãe.
Eu: Mãe – chamei entrando na sala e fui surpreendida com alguém que me puxou me beijando.
            Assim que seus lábios se apertaram aos meus eu percebi de quem se tratava, tanto pelo sabor quanto pela macies e o toque viciante que os lábios dele tinha, era o Justin... Meu Justin me surpreendendo com um dos beijos mais intensos.
Justin: Me desculpa por ter sido um idiota – sussurrou ele após encerrar o beijo por falta de ar, sua respiração ofegante e seu hálito fresco batendo em meu rosto me deixando completamente lesada da situação.
Eu: Sem problema – falei após um tempo tentando controlar meus pensamentos.
            Ele ficou olhando em meus olhos e acariciando meu rosto suavemente, ficamos assim nos encarando e trocando caricias durante um longo tempo e depois minha mãe desceu de seu quarto e nos olhou com um sorriso satisfeito.
Mãe: Bom dia – falou ela sorridente.
            - Bom dia – eu e o Justin falamos em coro e depois sorrimos.
            Enquanto minha mãe preparava o café da manhã eu e o Justin ficamos sentados no sofá assistindo tv, estava passando iCarly e eu como sempre me divertia com as palhaças da Sam Puckett(Jennette McCurdy), enquanto eu assistia concentrada o Justin brincava com os meus dedos e me olhava sempre que eu sorria.

(JustinON)

            Acordei determinado a ir concertar a besteira que eu fiz de uma vez, tomei um banho e me arrumei depois peguei a chave do carro e fui em direção a garagem. Segui a partida até a casa dela em silencio, enquanto pensava em várias maneiras de me desculpar com ela. Assim que cheguei e toquei a campainha a mãe dela me atendeu e disse que a (SeuNome) estava no banho e provalvemente não demoraria, fiquei andando de um lado para o outro e vendo as fotos de quando ela era pequena sobre a estante da sala. Senti seu perfume bater em uma leve brisa e alguém descendo as escada, eu sabia que era ela e assim que tive minha primeira oportunidade a beijei. Já vi frases e músicas dizendo que um beijo vale mais que mil palavras e talvez se eu tentasse me explicar em palavras complicaria as coisas mais ainda, quando percebi que ela estava se entregando ao beijo por livre e espontanea vontade senti meus musculos relaxarem e minha preocupação enfim cessou. Pedi desculpa e graças a Deus ela me desculpou e parecia que tudo estava normal, a mãe dela desceu e viu que haviamos nos resolvido e seu sorriso de satisfação no rosto era satisfatório para mim também, era bom ver que ela apoiava nosso namoro.
            Enquanto esperavamos sua mãe terminar de preparar o café da manhã que ela fez questão que eu comesse junto a elas, assistimos iCarly. Eu quase não assisti, fiquei bricando com a mão macia da (SeuNome) que deixou seu cheiro nas minhas e fiquei olhando a sorrindo, seu sorriso era tão verdadeiro que contagiava qualquer um que estivesse por perto. Não importava mais nada quando ela estava sorrindo, não havia problemas nem brigas nem medos ou inseguranças que rondassem minha mente, enquanto ela sorria eu só conseguia medir o quanto o seu sorriso era perfeito, o quanto ela era perfeita o quanto eu tinha sorte por ela ter me escolhido.
            Depois de um tempo a mãe dela nos chamou e tomamos o café da manhã delicioso que ela preparou, ficamos conversando e elas começaram a fazer planos para a vinda do pai da (SeuNome) ele chegaria aqui semana que vem. Ao me lembrar senti uma pontada em minha cabeça eu temia que o pai dela não me aceitasse como namorado de sua filha ou algo parecido, talvez temia que ele me odiasse. Voltei a realidade após um tempo pensando sobre isso e desmentindo meus próprios pensamentos para não me preocupar com isso, elas falavam sobre uma pequena concentração de conhecidos e vizinhos para a chegada do senhor (NomeDoSeuPai). Eu fiquei apenas ouvindos os planos delas e apenas opinava quando elas me perguntavam algo, ficamos conversando durante um longo tempo e depois a (NomeDaSuaMãe) disse que precisava sair para resolver algumas coisas do trabalho. Convidei a (SeuNome) para almoçar e durante o caminho para o restaurante eu lhe perguntei mais sobre seu pai e sobre a separação de seus pais, era bom para ela desabafar um pouco e era bom para mim ouvi-la. Fomos atendidos rapidamente quando chegamos e depois que terminamos de comer e eu acertei a conta e fomos dar uma volta na praça.
Eu: Não precisa ficar preocupado com a chegada do meu pai – falou ela sorrindo de lado – Ele não é perigoso.
Justin: Fico mais despreocupado assim – comentei e depois sorri novamente do seu comentário.
            Andamos durante algumas horas e tomamos um sorvete, conversamos a tarde todo e ainda bem que hoje estavamos livres para passarmos mais tempo juntos.
Uma semana depois...
        Os dias passaram rápidos e hoje seria nosso primeiro dia de aula, infelizmente as férias haviam acabado e todo o nosso sossego talvez fosse junto com ela. Acordei cedo e tomei banho depois me arrumei e me apressei já que iria passar na casa da (SeunNome) para busca-la. Saí trancando a porta e fui cantarolando as músicas que passavam na rádio até a casa dela, assim que cheguei buzinei e logo a vi saindo e se despedindo de sua mãe. Enquanto ela andava até o carro arrumando o uniforme que era perfeito em seu corpo eu reparava e pensava em algumas besteiras, destranquei as portas e ela entrou se sentando comportadamente ao meu lado e arrumabando a mochila em seu colo.
Justin: Bom dia bebê – falei selando seus lábios.
(SeuNome): Bom dia Jay – falou ela sorrindo.
            Durante o caminho até a escola ficamos conversando e relembrando as matérias que tivemos antes de entrarmos de férias, era impressionante o quanto a (SeuNome) se lembrava mesmo depois de ter ficado um mês longe da escola. Estacionei e logo os olhos vieram sobre meu carro, assim que desci algumas meninas sorriram para mim e eu apenas sorri forçado e depois fui para o outro lado do carro para acompanhar a (SeuNome). Haviam algumas pessoas lá fora e a maioria estava lá dentro, também havia alguns alunos novos e algumas alunas também que ficavam encarando-me enquanto eu entrelaçava meus dedos aos da minha namorada mostrando que só ela tem essa chance de me ter somente e completamente para ela. Entramos e nossos amigos veio nos comprimentar, as meninas como sempre tiram a (SeuNome) de perto de mim e eu vi alguns dos caras novos olhando para ela e conversando entre si o que me deixou um pouco irratado. Eu estava vendo que o resto do ano seria complicado...
(JustinOFF)

            Quando chegamos na escola recebemos alguns olhares não muito agradaveis e enquanto andavamos de mãos dadas pelos corredores conquistávamos muitos olhares também o que não era nada confortavel para um casal de namorados comum, as meninas me puxaram para contar as primeiras fofocas do primeiro dia de aula que ainda nem havia começado e o Justin ficou com os amigos dele do basquete. Ficamos conversando perto do armário da Britney e quando o sinal bateu eu fui até o meu guardar alguns livros e pegar outros que eu havia deixado lá. O Justin estava pegando os livros dele no seu armário e logo ele estava ao meu lado sorrindo.
Justin: Ansiosa? – perguntou ele pegando minha mão.
Eu: Nem um pouco – respondi e ele sorriu e depois selou seus lábios nos meus.
            Conquistamos alguns olhares e ele sorriu de lado, minha primeira aula foi sem ele o que era chato demais, mas a melhor parte foi que eu reencontrei a Ashy.
Ashy: (SeuNome) – chamou ela acenando e sorrindo.
            Fui em direção a ela sentando-me ao seu lado.
Eu: Oi – falei sorrindo.
Ashy: Eu soube que você e o Justin voltaram, verdade? – perguntou ela e ficou meia sem jeito;
Eu: É sim – sussurrei para não atrapalhar a aula – No intervalo eu te conto.
Ashy: Okay – cofirmou ela sorrindo.
            Fizemos algumas exercicios na aula literária e depois tivemos aula de educação fisica seguida da aula de estudos socias, durante o intervalo o Justin se sentou na mesma mesa que eu e a Ashy e após um tempo o antigo grupo da Gomez agora estava no nosso lado enquanto ela se sentava sozinha. Ficamos conversando e como sempre os meninos ficaram fazendo palhaçadas e quando o Justin se juntou a eles eu contei a história da volta do nosso namoro para Ashy que pareceu muito feliz com tudo.
            Depois que o intervalo acabou as últimas aulas passaram correndo e o Justin estava presente nelas, assim que saímos eu avisei que teria que ir embora e não poderia enrolar muito já que meu pai chegaria de viagem e eu teria que preparar uma pequena festinha ainda. O Justin me levou até em casa e ficou um pouco comigo e depois foi para o treino, organizei os ultimos preparativos e depois fiquei apenas esperando minha mãe chegar para organizarmos o resto.
----------------------------------------------------------------------------------------------
Pronto... Ia postar ontem, mas não deu tempo :x Mas espero recompensar né ><' Tomará que gostem e comentem muito minhas sonhadoras (yn' Beijos & até a próxima postagem :) *Respostas no capitulo anterior*

15 comentários... XOXO :*

terça-feira, 10 de abril de 2012

Dreams - Part. 72

Postado por @slaysdrauhl às 21:00
Reações: 
34 comentários
Fechei as janelas e depois fui para o meu quarto me preparar para dormir, coloquei meu pijama e depois me deitei olhando fixamente para o teto pensando em tudo o que havia acontecido. Não demorou muito e o sonho me tomou me levando inteiramente para um mundo de descanço e quietitude.

            Acordei com o meu telefone tocando e fiquei tateando a cama procurando por ele até encontrá-lo.

(LigaçãoON)
Eu: Alô – murmurei e a minha voz quase não saiu.
Serine: (SeuNome) o treino começa daqui a meia hora, cadê você? – perguntou ela e havia um barulho imenso do outro lado.
Eu: Ãn? Como? – perguntei confusa.
Serine: Não viu a mensagem? – perguntou ela e sua voz saiu mais alta do que na pergunta aterior fazendo-me abrir meus olhos de vez.
Eu: Não – respondi me levantando da cama rapidamente e indo até o meu guarda-roupa.
Serine: A treinadora não chegou ainda e se você se apressar pode chegar antes dela – falou ela e eu estava me apressando já, enquanto separava minha roupa.
Eu: Daqui a pouco eu chego aí – falei enquanto jogava a roupa na cama.
Serine: Vamos treinar na quadra da escola, porque os meninos estão usando o ginásio – falou ela e eu estava correndo enquanto arrumava as coisas.
Eu: Okay, vejo vocês daqui a pouco – falei desligando e jogando o celular na cama.
(LigaçãoOFF)

            Entrei no banheiro e tomei um banho corrido, saí e coloquei a roupa de líder e depois arrumei mais algumas coisas e coloquei outra roupa na mochila. Não daria tempo para secar meu cabelo então fui com ele molhado mesmo, até eu chegar lá acho que ele secaria e aí eu amarrava. Desci as escadas correndo e chamando pela minha mãe para avisar que eu iria para o treino, ela não estava em casa e havia um bilhete na geladeira.

“Fui ao super mercado, não irei demorar”

            Destaquei o bilhete e peguei uma caneta para deixar outro para ela.

“Fui para o treino e acho que não irei demorar.”

            Depois de fixá-lo na geladeira fui as pressas para a porta e comecei a caminhar rapidamente, desci a escadaria e vi o Denyel encostado no carro dele do outro lado da rua.
Den: Bom dia – falou ele sorrindo.
Eu: Bom dia – falei sorrindo de lado e depois segui meu caminho enquanto ficava olhando freneticamente para o relógio.
Den: Quer uma carona? – perguntou ele encostando seu carro perto de mim, eu estava tão perdida no nada que nem percebi seu carro chegando perto.
Eu: Pode ser – falei após pensar um pouco.
            Ele destravou as portas e eu entrei me sentando bem ao seu lado.
Den: Para onde a senhorita deseja ir? – perguntou ele sorrindo de lado.
Eu: Para escola – falei e ele sorriu pelo  nariz.
Den: Pensei que suas aulas só começariam semana que vem – comentou enquanto iniciava partida.
Eu: As aulas sim, mas eu vou ter treino das líderes e sabe como é – falei sorrindo e ele sorriu de lado.
            Seguimos o resto do caminho em silencio e assim que ele estacionou na frente das escola eu vi as meninas na porta provalmente me esperando.
Eu: Valeu pela carona Den – falei abrindo a porta e descendo do carro.
Den: Sem problema – falou ele sorrindo – Até mais tarde.
Eu: Até – falei sorrindo e acenando pra ele que logo iniciou partida voltando pra sua casa.
            Fui andando até as meninas e assim que cheguei perto delas entramos para esperar a treinadora que já estava a caminho, para a minha sorte ela ainda não havia chegado.
Bree: Como não viu a mensagem que te mandei hoje mais cedo? – perguntou ela me olhando com uma de suas sobrancelhas erguidas.
Eu: Não sei – falei mais surpreendida do que ela e ela gargalhou suavemente e depois as meninas imendaram outro assunto.
            A treinadora chegou e começamos a aquecer e depois a treinar, ficamos treinando por um longo tempo o suficiente para nos deixar bastante suadas e depois fomos para o vestiário tomar um banho. As meninas terminaram o banho primeiro e eu fiquei no banheiro arrumando algumas coisas junto com a Jullie.
Selena: Acho que aquele carro que trouxe você hoje não era do Justin, até porque naquele momento ele estava treinando – falou ela parada perto da porta olhando para mim.
            Ignorei-a e peguei minha bolsa passando na porta bem atrás da Jullie.
Selena: Ei, estou falando com você – falou ela puxando minha blusa.
Eu: Não toca em mim e a propósito eu não costumo falar com animais – falei mexendo meu ombro para que ela me soltasse – Ops é até uma ofença para os pobres animais serem comparados com você.
Selena: Será que o Justin iria gostar de saber que o seu amiguinho Denyel anda trazendo você para os treinos? – perguntou ela com cinismo e eu a fitei com um sorriso sarcastico.
Eu: Garota você não tem vida não é? – perguntei e ela ergueu uma sobrancelha – Vou te dar um gato, assim você terá sete vidas para cuidar e deixar a minha em paz.
Selena: Qual é (SeuNome), todos sabemos que o Den gosta de você até você sabe disso e ainda continua dando esperanças para o garoto – falou ela e eu respirei fundo me acalmando ao máximo.
Eu: Olha aqui – falei respirando fundo mais uma vez e chegando perto dela – Eu já quebrei a sua fuça duas vezes e não eu não quero mais sujar minhas mãos com você, então me faz um favor some da minha vida, da minha frente e principalmente se você tem amor ao que você chama de cabelo e a isso que você chama de rosto é melhor ficar bem longe de mim – conclui e sorri de lado enquanto ela me olhava sem demonstrar expressão alguma.
Selena: Ah valentona – falou ela desafiadora.
Eu: Você gosta de apanhar hein – falei sorrindo de lado enquanto ela me olhava e se afastava um pouco.
Jullie: Chega disso né Selena, chega de se intrometer em tudo o que não lhe é respeito. Tem como você respeitar o espaço das pessoas, tem como você cuidar mais da sua vida e deixar a dos outros em paz. O que você acha que vai ganhar tentando separar o Justin e a (SeuNome), caí na real garota ele não te quer mais – falou ela a Jullie tão rápido e com tanta revolta que eu nem estava acreditando que era ela mesmo – Você fica aí perdendo o seu tempo sem contar que apanhou feio duas vezes por causa das suas manias ridiculas de ficar provocando a (SeuNome), faz um favor pra todo mundo menina e para de ser desse jeito. Para de ser desprezível, se você não gosta de estar aqui apenas saía e não volte mais porque tenha certeza que ninguém aqui quer a sua presença – concluiu ela e eu fiquei fitando-a boquiaberta tentando pensar em algo para dizer depois daquilo tudo.
Eu: Jullie – murmurei sorrindo e ela respirou fundo e depois me puxou me arrastando para longe dali – O que foi aquilo? – perguntei quando saímos do quadra.
Jullie: Ai cansei daquela garota – falou ela e depois bufou – Se ela encher demais a proxima a dar uma surra nela sou eu.
            Ouvi a Jullie dizer aquilo me deixava preocupada e ao mesmo tempo orgulhosa, ela sempre foi calma demais e por isso sempre sofria calada. Não pude deixar de gargalhar e após um tempo ela me acompanhou, fomos andando para casa e ela me chamou para ir na casa dela para conversarmos um pouco. Ela me contou o motivo de tanto estresse, as regras dela estavam atrasadas e ela estava com medo de estar gravida. Parei para pensar durante um tempo e percebi que em todas as vezes que eu e o Justin tivemos relações não haviamos usado camisinha, mas estava tudo normal comigo. Fiquei a tarde toda com ela e quando estava anoitecendo me despidi e fui para casa andando lentamente enquanto cantarolava a música We found love – Rihanna assim que entrei em casa me deparei com o Justin sentado no sofá e parecia estar a minha espera a um longo tempo, seu rosto não era nada agradavel e antes de ir falar com ele eu respirei fundo.
Eu: Justin? – murmurei chamando a atenção dele que ficou de pé e forçou um sorriso – Esta aqui a muito tempo?
Justin: Não – respondeu ele todo tenso passando uma de suas mãos na nuca e respirando fundo.
Eu: Ah – murmurei olhando para a TV ligada e depois olhando para ele que desvia seu olhar dos meus – Aconteceu alguma coisa? – perguntei enfim tentando tirar aquele clima estranho.
Justin: Er... É verdade que o Denyel foi levar você no treino hoje? – perguntou ele e seus olhos dessa vez ficaram bem fixos nos meus.
Eu: Acordei atrasada e quando eu estava a caminho ele me ofereceu uma carona, apenas achei que não haveria problema se eu aceitasse – respondi sem pensar muito.
Justin: (SeuNome)... – murmurou ele.
Eu: Sem problema Justin, eu sei que você vai vir com o papo de que depois de tudo o que ele fez eu deveria me afastar dele – falei interrompendo-o – Mas ele é meu amigo e ele prometeu que não vai fazer mais nada daquilo, todo mundo merece uma segunda chance, certo?
Justin: Eu sei, mas é que... – murmurou ele apertando seu punho esquerdo – Eu não gosto quando ele faz isso, parece que ele esta tentando competir comigo.
Eu: Ele apenas me deu uma carona Justin, agora se você for acreditar em tudo o que a cretina da Gomez for contar pra você não vai dar né – falei enquanto batia um dos meus pés freneticamente sobre o chão.
Justin: Podia ter me ligado – falou ele parando na minha frente.
Eu: Você estava treinando e não, eu não ia te atrapalhar por causa disso – falei e ele bufou e parecia estar irritado – Olha só Justin, estou inteira e ele nem se quer tocou em mim.
Justin: Eu poderia buscar você e levar lá, não haveria problema algum – falou ele se afastando novamente.
Eu: Olha só você é o meu namorado e ele é um amigo que me deu apenas uma carona – falei chegando perto dele – Esta se preocupando atoa.
            Ele ficou em silencio durante um longo tempo, eu sabia que em sua cabeça rolava um monte de coisas misturadas. Coisas que eu não queria saber, coisas que eu gostaria que ficasse apenas para ele. Algo me dizia que a Selena ia acabar me envenenando para ele e apesar de tudo por ser o Denyel ele sempre ficava desse jeito.
Eu: Tudo bem Justin, vai pra sua casa e pensa bem se quiser podemos conversar amanhã – falei friamente após um tempo.
            Vi minha mãe saindo da cozinha e vendo que ele teria uma companhia eu subi as escadas indo para o meu quarto, não sei quanto tempo mais ele ficou parado ali pensando, mas um tempo depois minha mãe subiu e bateu na porta do meu quarto.
Mãe: Posso entrar? – perguntou ela entre abrindo a porta.
Eu: Claro – falei sorrindo de lado.
Mãe: Brigas – murmurou ela – É a pior parte em um relacionamento.
Eu: É sim – respirei fundo – Sempre quando se trata do Denyel ele faz isso mãe, qualquer coisa que aconteça e se o Den estiver envolvido ele vem com esse papo super protetor ou ciumento, eu nem sei mais de nada.
Mãe: Filha veja bem, quando o Justin entrou na sua vida o Den já estava – falou ela pegando em minha mão – Ele deve achar que por esse motivo o Denyel possa tirar você dele ou algo assim.
Eu: Ai por quê ele não entende que eu quero só ele? – perguntei choramingando e deitando-me no colo dela – Será que ele não vê isso?
Mãe: Ele fica cego de ciúmes meu amor – falou ela me fazendo cafuné – Ele fica se preocupando em perder você e nem percebe que por você isso nunca acontecerá.
            Respirei fundo enquanto ela passava sua mão suavemente sobre meus cabelos e pensei que deveria lhe contar sobre os acontecimentos durante a viagem, principalmente que eu já havia tido minha primeira relação.
Eu: Mãe – murmurei e senti um tremor que veio trazendo a falta de coragem em imediato.
Mãe: Sim querida – falou ela suavemente.
Eu: Eu preciso te contar uma coisa – falei levantando-me e sentando-me a sua frente.
Mãe: Sim – falou ela sorrindo enquanto passava seus dedos em minha sobrancelha.
Eu: Er... Sabe nesse tempo de viagem tudo tão apertado e eu e o Justin nos resolvemos e depois de tanto tempo de sufoco... E a senhora sabe o quanto eu o amo – falei me enrolando na explicação e depois respirei fundo.
            Ela ficou me olhando e por um lado parecia que o que lhe contaria não seria nenhuma surpresa para ela, ela sempre me disse que as mães sempre sabem de tudo mesmo quando não contamos elas sabem apenas por algumas mudanças em nossos comportamentos.
Mãe: Você e o Justin passaram dos limites? – perguntou ela e não parecia estar zangada.
Eu: Sim... Eu perdi minha virgindade – falei de uma vez atropelando tudo e depois coloquei a mão no meu rosto tentando esconder minhas bochechas avermelhadas.
Mãe: Eu já sabia – falou ela tirando minha mão do meu rosto.
Eu: Como? É adivinha agora? – perguntei e ela sorriu de lado.
Mãe: É que você esta sentando aberta – comentou ela e eu sentei olhando para minhas pernas.
Eu: Sério? – perguntei assustada.
Mãe: Brincadeira – falou ela sorrindo e tive que sorrir junto.
Eu: Você me assustou mãe e seria estranho isso não é mesmo?! – murmurei e ela sorriu suavemente.
Mãe: Olha filha não precisa me contar detalhes, mas eu só quero que seja responsavel – falou ela olhando no fundo dos meus olhos – Não quero que te aconteça com você o mesmo que aconteceu comigo, certo?
Eu: Certo – falei sorrindo de lado.
Mãe: Os homens são bem relaxados, tanto faz para eles trasarem com ou sem camisinha então isso tem que ser uma responsabilidade sua – falou ela tocando meu rosto.
Eu: Eu entendei, reponsabilidade minha – repeti e respirei bem fundo.
            Eu não poderia contar para ela que eu não usei camisinha em nenhuma das vezes que eu e o Jay tivemos relação, ela ia pirar com isso.
            Ficamos conversando durante um longo tempo e ela ficou me dando os famosos conselhos de mães e depois quando foi ficando muito tarde ela se despidiu me dando boa noite e me dando aquele famoso beijo da mamãe antes de dormir e foi para o seu quarto. Ouvi meu celular apitar e quando peguei para ver era uma nova mensagem do Justin.

            Me desculpa, eu fui um babaca em ter agido daquela maneira e agora eu não estou nada bem. (SeuNome) por favor me perdoe, eu não queria que nada disso tivesse acontecido, mas eu sou tão... ciumento quando se trata do Denyel. Eu preciso te ver, eu não vou conseguir dormir se não te pedir desculpas pessoalmente.

            Depois de ler aquela mensagem um sorriso espontâneo se formou em meu rosto, um sorriso de satisfação por saber que depois que ele pensasse com mais calma ele veria que estava tomando atitudes desnecessárias. Estava tarde e não havia como ele me ver, só poderia ser amanhã, então sem demora mandei-lhe outra mensagem.

            Não será possivel,  já está tarde e eu preciso descansar um pouco. Não estou magoada com você ou qualquer coisa do tipo então pode descansar em paz e amanhã nos falamos.

            A mensagem enfim foi enviada e depois eu apenas desliguei o celular e fiquei me concentrando para dormir, assim como ele eu precisava pensar um pouco por cada pensamento em seu devido lugar. Não demorou muito e eu acabei adormecendo... 
----------------------------------------------------------------------------------------------
Postado amores, espero que gostem do capitulo e comentem bastante \o/ ~~Respostas no capitulo anterior ;)~~

15 comentários... E beijoos aos Haters XOXO :* 
 

* Only Imagine Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos